terça-feira, 27 de maio de 2008

SUSTO NO EQUADOR


Chuca / Foto: CBB

A seleção feminina do Brasil, com ou sem desfalques, é muito melhor que a Argentina. Mas algo acontece quando as vizinhas se enfrentam. Naquela estréia do Mundial de 2006, em pleno Ibirapuera, só ganhamos porque Helen fez uma cesta milagrosa no apagar das luzes. Ontem, no Sul-Americano do Equador, conseguimos perder o primeiro quarto por 28-19. Pelo menos a equipe juntou os cacos, recuperou o ânimo e venceu a partida por 73-67 - Chuca (foto) foi a cestinha com 21 pontos. O susto foi grande, até porque um tropeço derrubaria uma seqüência de 59 triunfos brasileiros na competição. Que sirva de aprendizado no caminho para o Pré-Olímpico - afinal, é para isso que as meninas do Bassul estão disputando o torneio.

7 comentários:

Gustavo Sousa disse...

Sem falr que perdemos o 4o. quarto também!

.:: Luis V ::. disse...

Considero que la selección brasilera que actualmente está en Loja no es mejor que la Argentina, como dice el comentarista. Son equipos parejos y el partido de la final podrá ser para cualquiera de los dos equipos, ante la paridad de ambos. Alguna vez le tendrán que dar mérito al básquetbol femenino de Argentina.
Las ausencias en la verde amarilla se sienten y cómo.
Con equipo completo Brasil es otra cosa, claro. Ahí no hay discusiones.
Un abrazo.
Luis V ( Buenos Aires)

Anônimo disse...

Zé Paulo

Rodrigo,de uma olhada,nos jogos entre Brasil e Argentina,antes do Mundial ou melhor nestes últimos anos,e vc verá que o jogo do Mundial foi uma exceçào e este também foi anormal,o Brasil sempre tem jogado desfalcado,como a Argentina também esta, embora os desfalques brasileiros são menos sentidos contra esta equipe pelo melhor basquete que nós temos e quantidade de jogadoras de qualidade.

Rodrigo Alves disse...

Vi todos os jogos da Argentina nas últimas grandes competições (Mundial, Pan, Pré-Olímpico) e sei que a equipe evoluiu em relação aos anos anteriores. Mas acho que a seleção brasileira, mesmo desfalcada, ainda é muito superior. Como disse o Zé Paulo, os resultados do Mundial e do Sul-Americano são anormais, e devem ser encarados pelo Brasil como lições para o futuro. Abraços!

Renan Ronchi disse...

Haja fôlego pra cuidar do Rebote sozinho, hein Rodrigo. Ainda mais o rebote, que geralmente tem mais de um post por dia. Hahaha.

Anônimo disse...

Zé Paulo

Não entendi,quem evoluiu? O Brasil ou a Argentina?acho que vc não entendeu bem o que escrevi Rodrigo, se vc entrar no site da CBB e observar os resultados vai ver que com exceção do MUNDIAL,O bRASIL sempre ganhou bem!Isto é que estou querendo colocar,para que vc como informa e bem, tenha condições de informar e se posicionar com mais informações.

Bert disse...

Ei, Rodrigo, parabéns pelo trabalho e pela versatilidade.

Algumas coisas no texto e nos comentários me deram vontade de comantar.

Realmente, a Argentina evoluiu muito e, nas categorias de base, já é melhor que o Brasil, nos últimos anos.

No adulto, ainda estamos mantendo a supremacia, o que eu acho que é só pelo fato de o adulto feminino, na Argentina, viver em situação ainda mais amadora que o Brasil.

Uma outra coisa, é que "algo acontece" mesmo nesse confronto e não é de hoje. Me lembro da estréia do Brasil, na Copa América, em 1993, ginásio do Ibirapuera. A seleção (Hortência, Paula, Janeth, Marta, Ruth, Alessandra, Leila, Helen, Silvinha, Lígia, Cíntia e Roseli) passou um aperto danado. Placar final 97-95, se não me engano.