quarta-feira, 21 de maio de 2008

DESTA VEZ, DEU JOGO. E QUE JOGO...


Marcelinho e Williams / Foto: CBB

Foi uma partida muito tensa, truncada, cheia de faltas, mas ótima de ver. No ginásio do Tijuca, o Flamengo precisou de uma prorrogação para superar Joinville por 120-113, abrir 2-0 na série e ficar a um passo das finais do Nacional. De um lado, o ala Marcelinho teve mais uma atuação extraordinária, com 37 pontos, nove passes e sete rebotes. Do outro, Williams respondeu com 35 pontos, sete rebotes, quatro assistências e três roubadas. O americano, que teve frieza para empatar o jogo com dois lances livres a cinco segundos do fim do último quarto, não jogou os dois minutos finais do período extra, eliminado com faltas - aliás, ele e outros quatro (!!!) companheiros. Destaque também para a torcida rubro-negra, que não lotou o ginásio, mas foi inteligente. As duas organizadas, que estavam uma de cada lado da arquibancada, se uniram na prorrogação atrás da cesta em que Joinville atacava. Deu certo. Agora o Fla viaja tranqüilo e pode fechar a série com uma vitória na sexta-feira, às 18h.

Minas x Brasília / Foto: CBBNa outra semi, fora de casa, o Brasília bateu o Minas (99-93) e empatou a série em 1-1. Arthur, Valtinho, Cipriano e Spillers dividiram a pontuação do time visitante, enquanto Soró liderou a equipe da casa com 27. O confronto agora migra para a capital federal, com o jogo 3 nesta sexta-feira.

3 comentários:

Pedro Trindade disse...

Bala e Rodrigo, vcs que tem a oportunidade de acompanhar o Nacional mais de perto, o que estão achando individualmente do desempenho do Marcelinho ?
vcs acham que ele pode voltar a jogar alguma coisa na seleção ou ser aquele cara que estraga tudo?
até onde eu acompanhei o nacional, ele liderava as médias de eficiência, mas em compensação, a porcentagem de chutes de 3 dele está bem abaixo dos bons tempos...

queria saber a opnião da galera ae da caixinha que ta mais por dentro do assunto tb.

saudações a todos

Anônimo disse...

Pedro Henrique


Nacional é Nacional, Flamengo não é seleção brasileira,Joinville não é Alemanha e nem Grécia, mas fora estas diferenças, acho que todas condições de estar na seleçào e se bem orientado ir muito bem, não era com o "desmoralizado e incompetente Lula" que ele iria jogar dentro de padrões que nunca existiram.

Tiago Campante disse...

Fico feliz de ver que o amigo está acompanhando o basquete masculino!

rs

E, pelo que li, acho que vc concorda com a tese de que basquete é muito legal de se ver ao vivo. Mesmo quando não é nível NBA.

Aproveitando o gancho do Pedro, diria que o Marcelinho continua sendo um grande jogador, um dos poucos da seleção que carrega o time na prática, mas eu acho que ele seria mais útil como reserva na seleção.

O caso é que dois jogadores com caixa para serem titulares, Leandrinho e Alex, são shooting guards trapped in point guards' bodies. Eis um problema. Justo na posição 3, que nunca foi problema na seleção...