sexta-feira, 27 de junho de 2008

O PRIMEIRO PASSO DE MONCHO


Moncho Monsalve / Foto: CBB

Antes de falar do jogo em si, talvez o ponto mais lamentável tenha sido o Maracanãzinho praticamente vazio. Mancada feia (mais uma) da CBB, que teve um mês para estabelecer parcerias com alguns colégios, universidades, escolinhas de basquete e afins. No mínimo, uma receita simples: combinar com os clubes do Rio que têm basquete na categoria de base e alugar ônibus para levar a garotada. Mas absolutamente nada foi feito, e o resultado foi
o que vimos: Moncho Monsalve estreou na seleção diante de arquibancadas quase vazias. Um cenário meio constrangedor.

Se a estrutura fora da quadra continua capenga, pelo menos dentro dela houve motivo para um pouco de otimismo. É claro que a Venezuela é fraca e não tem garrafão, mas o Brasil já mostra sinais de evolução sob o comando do espanhol. Às vezes, o instinto fala mais alto e a correria irresponsável aparece, mas no geral há um esforço para jogar de forma coletiva e equilibrada.

Tiago Splitter / Foto: CBBMesmo com uma fascite plantar no pé e uma lesão no joelho, Tiago Splitter (20 pontos e 10 rebotes) foi de longe o melhor. Ele vai ter mais dificuldades quando enfrentar pivôs de verdade, mas sem dúvida sobra na turma. O problema está nos outros jogadores de garrafão. Baby foi bem nos rebotes, Batista e Ricardo fizeram um bom feijão-com-arroz. Não dá para esperar muito mais do
que isso. Embaixo da cesta, os desfalques vão pesar quando
a competição for de alto nível.

Marcelinho Machado jogou muito bem, e não estou falando dos 17 pontos. Refiro-me ao equilíbrio em quadra. Ele conseguiu ser uma ótima arma ofensiva sem precipitar seus arremessos. Que continue assim. Os outros dois chutadores da seleção, Duda e Tavernari, estrearam mal, provavelmente nervosos. Precisam esfriar a cabeça e calibrar a pontaria a partir de agora.

Marcelinho Huertas / Foto: CBBDos reservas, ontem, gostei do Fúlvio (apesar de alguns erros) e do Baby. Mas fica claro que o Brasil vai sofrer na hora das rotações, o nível do jogo não é o mesmo. Mesmo com a filosofia coletiva que Moncho pretende implantar - e parece estar no caminho certo para conseguir - a equipe ainda vai depender muito de boas performances de Huertas, Machado e Splitter. Ontem, os três atuaram bem. Vamos ver o que rola na sexta.

19 comentários:

Marexal disse...

Maracanãzinho vazio em jogo da seleção com entrada franca, esse é o retrato do basquete no Brasil. Acho que a decisão do Leandrinho em acatar o pessoal de phoenix e ficar de férias lá nos EUA jogando pelada passa por aí. No Brasil ele é mais um num time que só acumula fracassos. Lá jogador no states jogador de basquete não passa despercebido na rua nunca, lá ele é celebridade. Aqui tem meia dúzia de torcedores que o reconhece na rua e mesmo assim esses torcedores quando vem aqui e se manifestam criticando seus jogadores obtém como resposta a declaração de que eles não entendem de basquete. Sendo assim a conclusão óbvia é de que aqui ninguém entende de basquete. Eu não recrimino o Leandro, ele tá lá na meca do basquete se destacando e joga todos os anos o campeonato mais importante do mundo do basquete, então primeiro tem que agradar o pessoal lá, obviamente.

osama lakers disse...

Gostei da estréia da seleção - concordo que existem alguns pontos fracos e que o Tiago sentirá o tranco qdo estiver contra pivôs de verdade, mas foi bom ver o jogo e sonhar com a melhora de nossa seleção.

Marexal disse...

Li alguns comentários sobre o jogo e resolvi da seleção e resolvi vir aqui criticar gratuitamente. O Machado fazer esse bom jogo contra a Venezuela não me diz nada. Aliás minha crítica mais veemente ao jogo dele é essa, quando tá uma barbada ele é o cara do time, chega a fazer lance de globe trotters, agora, quando o jogo aperta, na hora do "vamo vê", ou ele se esconde e deixa o varejão chutar de três a última bola (Pré de Porto Rico 2003), ou ele força e erra tudo com menos de dez segundos de posse, air balls e turnovers ridículos (pré de las vegas 2007, 3º quarto fatídico contra a argentina). O problema dele nunca foi o chute de três, ele tem a técnica pra chutar de três. O problema dele é marcando um cara como o Delfino ou o Ayuso, daí não adianta ele fazer 20 ou 15, que é o que ele faz em geral nesses jogos, e permitir que o cara faça 40 pts. Resolvi criticar agora e não na hora em que o Brasil for eliminado e a galera vier aqui reclamar do Crazy Shoter.

Diogo Costa disse...

Gostou do Baby ... É inegável que toda aquela massa muscular dele dentro do garrafão pode ajudar e muito. Só falta ele "malhar" um pouco mais o cérebro, e usar toda aquela força em benefício do basquete brasileiro. No jogo que eu fui ver ontem (acredito eu que eu estava no ginásio certo, recebi várias ligações de pessoas que me viram na transmissão do SporTV) vi um jogador camisa 12, que parecia estar dormindo em todos os lances, e que após dois turnovers por simples desatenção mereceu um grito de "Acorda Baby" vindo de um torcedor mais exaltado (eu!).

Como comentei no post anterior assisti a toda a partida no Maracanazinho, fiquei sentado de frente para o Rodrigo Alves, e percebi que ele, como eu, não estava com muita vontade de prestar atenção no jogo, parecendo estar desatento em alguns momentos.

O vascaíno que gritou Eurico estava me entretendo bem mais, isso claro já no fim do jogo.

David disse...

O time evoluiu desde os tresnos de semana passada que assisti.
Qundo fizeram as jogadas treinadas, apareceram chutes desmarcados.
Fúlvio surpreendeu.Os pivôs reservas têm que aprender a não baixar o braço, se não continuarão fazendo muitas faltas.Devem se impor no peito.
O ponto negativo é que não temos alas reservas;
Marcus não é ala. Tavernari está muito lento, e olha que estou descontando os erros no ataque por conta de nervosismo.
Duda mostrou que deveria estar no grupo do Sul-americano. Seus erros foram mais decorrente de arremessos precipitados, de forçar o ataque quando deveria jogar dentro das jogadas combinadas.
Ao contrário de Tavernari, que errou arremessos quando estava livre, o que denota nervosismo, Duda jogou no estilo peladeiro.
O time titular esteve muito bem. Ricardo e Fúlvio melhores do que esperava.
Baby e Murilo ainda inconstanntes, mas há grande pespectivas de melhoras.
Tavernari, Duda e Marcus passarão o pré-olímpico no banco, só entrarão quando Marcelinho e Alex se penduraraem em faltas. Se pegarmos a Alemanha, Marcus talvez possa servir para marcar Nowitzk.

Anônimo disse...

É isso aí Marexal!
Pelo que entendi do seu comentário, o Leandrinho fez muito bem de não vir servir à Seleção, assim como tamb''em agiram certo o Varejão e o Nene, pois também jogam na meca do basquete, como voce descreveu a NBA.
Neste caso o Gilherme, o Valtinho e o Paulão podem continuar sendo chamados de CAGÕES, pois não jogam na meca do basquete.

Com isto voce deixa claro que jogador que é jogador tem que jogar pra torcida e foda-se a camisa da seleção; tem que dar espetáculo e foda-se o coletivo; tem que ser mimado e bajulado pela imprensa e pelos fãs e foda-se as Olimpiadas.
Parabéns pelo seu raciocínio brilhante.
Só me dê o direito de discordar dele.

Jogador que é jogador tem culhão, tem brio, tem vergonha na cara e joga com ou sem torcida; joga com ou sem ser reconhecido na rua; joga com ou sem técnico da panela; joga com ou sem uma administração boa na CBB; joga por que é profissional e tem carater.

Parabéns aos JOGADORES que estão abrindo mais uma vez mão de suas férias e suas vaidades e estão aí dando a cara pra bater de novo.

Lamento posições iguais a esta e lamento ter brasileiros que põe os interesses pessoais e políticos em primeiro plano deixando de lado o profissionalismo.

Só para lembrar, os jogadores e astros de verdade da NBA estarão em Pequim e pra eles não tempo ruim.
Mas isto deve ser porque eles são titulares de seus times e nossos pseudo-astros são simples coadjuvantes (BANCÃO MESMO).

Abraços e espero que não me leve a mal.

SANDROSAMPA disse...

Bem por partes
Quanto ao Marcelinho lembro que no início da carreira no Fflumnense e no Botafogo,era um cara que trabalhava fácil para duplos duplos , assistencias e pontos, naturalmente a carreira vai indo para a parte final, o desempenho tende a cair.
Creio que a questão é saber usá-lo , mas certamente por conta dos desfalques ele tem que ser titular agora;Numa situação em que precisemos de uma cesta de 3 ou cestas decisivas Marcelinho pode ser útil sim, como opção.
Não podemos esquecer qeu tivemos muitos desfalques.

Quanto aos outros, o Tarvenari não teve muito tempo de quadra, não podemos julgá-lo , e não temos muitos videos dos jogos dele na nos USA para analisar melhor.
Mas prestei atença que ele tem um bom quique de bola, coisa rara no Brasil.

Já quanto ao Duda entendo que o próprio Moncho ontem viu limitações no jogo dele,talvez pela juventude, acho qeu ainda não estava no ponto para um seleção A;
Do Post Rodrigo, discordo quanto ao BAby , teve hor aqeuo Roby Porto quase perdeu a paciencia com os erros , bizarros par aum jogador qeu esteve até bem no Colege americano.Mas também pelos desfalques até entendo a ulitidade dele no grupo.

Gostei do momento que o tecnico espanhol chamou atençao do Duda e do grupo , para que o time evitasse jogadas individuais , buscando contato com a defesa, e que procurasse usar mais o jogo de passes.
Gosto desse tipo de tenico exigente que não entra no oba oba do placar em si.
Aliás o melhor amistoso para mim alem da postura defensiva foi a postura séria e exigente do técnico, sem muito show na beira da quadra(isso mais a cargo do NEto);
Moncho foi bem na questão de deixar mais tempo um quinteto( um trio ), Huertas, Alex e Spliter, como base pois o time tem pouco tempo para entrosar.
Creio que como ele disse numa entrevista as dúvidas estejam em quem vai ser companheiro de Splitter no pivô.
Eu ainda acho que dos que estão lá o Ricardo Probst é o mai sindicado apesar da altura , ele é que tem mais técnica de Rebote. E ainda tem um bom arremesso inclusive dos 3, oq eu não pode ser desprezado com base emqeu vemo em muitos pivôs Europeus.

Ronei disse...

Sem ser ironico ou sarcastico!

Esse negócio de patriotismo no basquete é furada!!!! São anos e anos que o basquete ta aí arruinado, a culpa sempre são dos jogadores, porque são apenas pseudo-astros, supervalorizados, não são franchise-players e nem o nosso ídolo incontestável Oscar!

Para entender o que eu falo é algo fácil!
É só fazer o seguinte:

Acompanhe o blog do juca kifuri no UOL, e quando ele soltar alguma noticía sobre basquete. entre nos comentários que serão poucos, e depois diga se vale a pena ser patriota, vestir a camisa da seleção.

se me perguntassem. O que você prefere, um jogador brasileiro MVP da NBA ou brasil campeão olimpico e mundial?
responderia todas as vezes um jogador MVP.

Sem mais.

Alexandre Estefan disse...

Marexal, o Leandrinho é mais recriminado pela MENTIRA que inventou para não vir do que não vir propriamente, como a Hortência falou, a CBB não dá apoio.. e bla bla, mas que ele fale o motivo real que não vem.. e não esse papo de chinelinho.
Já quanto ao Marcelinho Machado, o pessoal não está elogiando uma partida de 40pts que ele costuma fazer contra times fracos, e sim a postura dele em quadra, de procurar arremessar no momento certo, de rodar a bola.. E o MM pode ter todos os defeitos do mundo, mas ele não se esconde, vide a bola que ele mandou contra a Turquia a 2 Mundiais atrás, nesse Pré que vc citou.. foi uma das piores participações dele em um torneio, com várias partidas com 1/10 de arremesso, e como o time é composto por mais de 1 jogador.. normal o jogador que está tendo a pior atuação não ser o escolhido para o chute decisivo.
Apesar de respeitar a opinião de todos,não entendo o pq se defender o cara que está se escondendo(Leandrinho) e criticar quem está dando a cara a tapa(MM).

Renato disse...

Assisti só o primeiro tempo pela TV. Pelo que vi, concordo com alguns pontos do post do Rodrigo mas discordo de outros:

1) O Splitter realmente é *de longe* o melhor jogador do time.

1.5) Não sei se gostei muito daquele ar "professoral" do Moncho. Na hora do tempo parecia que ele estava ensinando o Beabá pra uma turma da 1a. série do primário, e não instruindo a seleção brasileira de basquete. Talvez seja isso que a seleção precise mesmo, ou então esse é o jeitão do cara, mas pra mim pareceu meio presunçoso, do tipo "vou ensinar esse pessoal a jogar bola direito, mas tem de ir devagar senão eles não acompanham".

2) Existe um desnível importante entre o time reserva e o titular.

3) Não achei nada do outro planeta de bom, mas no fundo gostei da postura defensiva e ofensiva do time, achei que estão um pouco mais empenhados em executar os fundamentos e as jogadas decentemente, em vez da vergonha que se via antes nessa área.

4) Achei Murilo e Baby mal. Ambos péssimos na defesa, olhando pro aro na hora do rebote em vez de bloquear o adversário. No ataque até que o Murilo se salva (não muito), mas o Baby tem a mão mais furada da história deste esporte. É uma pena, a gente tem que reconhecer o empenho dele, mas a coisa está feia.

5) Até que não desgostei do Tavernari, que nunca tinha visto. A universidade nos EUA é realmente a melhor escola de fundamentos que tem, você vê a postura defensiva dele no 1 contra 1, dava pra filmar e usar pra ensinar criança a jogar. A única coisa é que ele estava agressivo no estilo americano de defesa, de mais contato, que não casa com o padrão fiba de arbitragem, o que gerou muitas faltas. Ele vai ter de cuidar dessa intensidade caso queira melhorar os resultados. No ataque achei que ele estava um pouco ansioso pra mostrar serviço, e precipitou alguns chutes que não precisava. Mas o saldo até que foi bom - acho que é um reserva sólido pro nosso time.

6) Huertas e Alex razoavelmente bem. Boa postura defensiva, cumpriram o feijão com arroz no ataque. Mas não foram muito exigidos, se for ver bem.

7) Marcelinho definitivamente sabe botar a bola na cesta de inúmeros jeitos, ponto. Resta ao Moncho encontrar um jeito de aproveitar essa habilidade pro bem do time.

Do que vi, para um jogo-treino, está bom, com uma luz amarela para o nosso esquadrão de reservas.

Gus disse...

Esses Pseudo-tecnicos que não sabem porra nenhuma é foda.
De uma hora pra outra todo mundo manja de basquete pra caralho, ninguem presta na seleção, eu desgostei, o treino está meia boca.

Respeito muito a opinião dos outros, tem uma galera que acompanha isso aqui faz tempo, mas ficar fazendo avaliação tecnica e tatica, sendo que você não é TECNICO, não é PROFISSIONAL, é um simples APAIXONADO pelo bom basquete é um saco.
Se você é bom porque nunca ouvi falar de você, porque não está na equipe tecnica?
O Splitter ta na Espanha a um tempão trombando com os pivôs da Europa, e tem jogado muito bem, aí vem neguinho dizendo que ele vai afinar contras os "pivôs de verdade" , dá um tempo, deixa os caras jogarem.
Teve um Reboteiro aí que já xingou o marcelinho por antecipação,pra depois ficar dizendo , viu eu avisei, outro reclamou da cara do Tecnico, faça me o favor ...

Erin disse...

gus
concordo co vc
vamos fazer o nosso papel e vamos torcer.
como dizia meu pai:
quem sabe joga
quem nao sabe ensina
e quem nao sabe nada comenta...
abracos

ps. eu sou "A" erin e nao "O" erin.

Diogo Costa disse...

gus

"Um espaço livre para conversar sobre basquete. Fique à vontade e dê a sua opinião nas caixinhas!"

se vc acha q as pessoas q comentam aqui não sabem nada de tática ou técnica, tudo bem eu respeito a opinião.

mas não critique o fato das pessoas estarem vindo aqui dizer isso. esse espaço foi feito pra isso. palavras do próprio rodrigo alves na descrição q eu transcrevi acima.

Erin disse...

"Fique à vontade e dê a sua opinião nas caixinhas!"

entao gus vc pode falar o que quiser.

Renato disse...

caro gus,

Obrigado por nos iluminar com o seu controle de qualidade.

Eu não sei onde estaríamos sem você para nos dizer o que é uma opinião "profissional" e com credibilidade.

Afinal de contas, não somos capazes de fazer isso sozinhos.

Boa sorte na sua missão de purificar a internet e livrá-la dos amadores desqualificados que ousam se manifestar a respeito de assuntos tão sagrados quanto a técnica do basquete. Será uma tarefa bastante árdua e longa, espero que você não desanime e vá até o fim.

Abraço,

- Renato

Anônimo disse...

Hehe, brilhante, Renato.

Quem entende de basquete no Brasil são os "fidalgos", acostumados a chegarem aos altos postos por serem filhos de, amigos do, aliados a...

Lembrando que, na máxima dos nossos profissionais do basquete, é proibido criticar. Depois querem reclamar do Grego...

Henrique disse...

~Desculpa gente, não quero ser pessimista...mas com essa seleção o Brasil só na base da vontade e se os outros times (europeus, canad e porto rico) tiverem maus....acredito que uma derrota para o canada e para porto rico jogando assim vai ser normal...


Gente desculpa de novo...mas não da.....não da mesmo.....infelizmente...e se passar nunca mais falo de basquete na minha vida.....nunca mesmo...rsrs

Henrique disse...

~Desculpa gente, não quero ser pessimista...mas com essa seleção o Brasil só na base da vontade e se os outros times (europeus, canad e porto rico) tiverem maus....acredito que uma derrota para o canada e para porto rico jogando assim vai ser normal...


Gente desculpa de novo...mas não da.....não da mesmo.....infelizmente...e se passar nunca mais falo de basquete na minha vida.....nunca mesmo...rsrs

Gus disse...

Se a carapuça serviu renato não posso fazer nada...

O que tem de "BASQUETE" Você ficar reclamando do ar "professoral" do Moncho? Deixa o cara pelo menos tentar ajudar o nosso país, se o cara tem cara bonita , feia, se é esnobe ou não, QUEM SE IMPORTA???

Tem outro já malhando o Marcelinho, só pra ter o gostinho de ser o "senhor da razão" caso não ganhemos a vaga. Palhaçada,só pelo prazer de criticar.

Anonimo o que dizer pra você ... NADA !
Você é anonimo, só toma cuidado porque do jeito que você tá grudado o Renato não consegue andar.