quinta-feira, 22 de abril de 2010

VOLTANDO




Desta vez, nem foi o excesso de trabalho. Justamente quando pintaram duas raras folgas durante a semana, fiquei vários dias sem internet em casa – bem na hora dos playoffs da NBA e do NBB. Finalmente troquei de operadora, então vamos em frente. Para voltar à ativa, uma rápida passada por alguns pontos:

))) Nas quartas de final do NBB, Franca e Minas, justamente os dois times que deram uma rateada no fim da primeira fase, começaram com a corda toda. As vitórias fora de casa sobre Pinheiros e Joinville abrem caminho para as semifinais – só abrem o caminho, claro, ainda é preciso percorrê-lo inteiro, sem deixar a peteca cair.

))) No jogo 1 entre Bauru e Brasília, foi lamentável o show do Guerrinha para as câmeras nos pedidos de tempo (veja aqui). Bom técnico, ele não precisa fazer todo aquele teatro, gritando frases feitas como "Por isso que o Brasil não vai para a Olimpíada! Não é só técnico não, jogador não tem disciplina!", ou "O meu trabalho não é um jogo não, é uma vida no basquete! Vocês são muito moleques pra jogar desse jeito", sem falar em grosserias como "Na hora que cria um pouquinho de desconforto, vocês viram a bunda pra eles". Soa como marketing puro, e de gosto muito duvidoso.

))) Na NBA, o Leste tem todas as suas séries em 2-0, com os times da casa ganhando sempre. Como era de se esperar, o ataque do Miami (mesmo com Wade, o homem da foto) sucumbiu à defesa dos Celtics nos dois jogos em Boston. Em Atlanta, Joe Johnson fez o de sempre, e Josh Smith mostrou duas vezes que, sem Andrew Bogut, a coisa fica feia para o Milwaukee no garrafão. Se o Charlotte continuar abusando dos erros (foram 21 no jogo 2), vai ser atropelado pelo Orlando. E o Chicago, terá bala em casa para incomodar os Cavs? Respostas logo mais, às 20h.

))) No Oeste, como disse o amigo Maurício Ribeiro, o Portland já pode gravar um daqueles depoimentos de superação para a novela Viver a vida. Ganhar o jogo 1 em Phoenix sem Brandon Roy foi incrível. Na segunda partida, contudo, os Suns devolveram com uma surra de quase 30 pontos. Falando nos Blazers, já se cogita um retorno de Roy ainda no primeiro round (não hoje, para o jogo 3, quem sabe mais adiante). O mesmo vale para Andrei Kirilenko em Utah, contra o Denver (duelo também empatado em 1-1). Acho difícil, nos dois casos, mas vale ficar de olho. O San Antonio já mostrou ao Dallas que não haverá moleza, igualando a série no jogo 2 com grande atuação de Richard Jefferson (Duncan está jogando muito). Essa deve ir longe. E o Oklahoma até incomodou os Lakers no segundo embate, mas não o bastante para evitar o único 2-0 da conferência (jogo 3 hoje).

6 comentários:

João Pedro TONHÃO #23 disse...

Realmente o show do técnico ali foi totalmente desnecessário, tem coisas q a gente guarda pro vestiário..
NBA tah super legal, grandes jogos..!'

Herlanildo disse...

rodrigo pode não ser necessario falar de frente as cameras, mas concordo plenamente com quase tudo que ele disse.

vlw abraço rodrigo

ei cara vc podia nos fornecer os horarios que serão transmitidos os jogos da nba, no: esporte interativo, espn, espn brasil, space e onde tiver bola quicando

abração

Anônimo disse...

Grotesco o Gerrinha. Não acho que seja marketing, porque vai contra ele mesmo. É horrível!!!

Denis disse...

Eu nunca entendi porque os jogadores aceitam ser tratados assim como lixo por tantos técnicos. Jogar mal ou não conseguir executar o que foi treinado pode até merecer uma bronca, mas não o tipo de gritaria e grosseria que quase todos os técnicos promovem. E os jogadores só baixam a cabeça e aceitam como se isso tivesse que fazer parte do jogo.

Dimitry disse...

Foi grosseiro sim, mas sinceramente nessa hora o técnico tem que fazer o que acha para fezer a equipe melhorar e vencer e não se importar com as câmeras, porque na verdade o tempo é dele (técnico), para falar o que quiser, as câmeras e microfones lá são para a gente que está só assistindo e torcendo as vezes, enquanto eles estão vivendo aquilo, por isso não o culpo. Só acho que isso não ajuda os jogadores, mas, cada um tem uma opinião.

Abraço!

Anônimo disse...

Totalmente desnecessário.

E por ISSO TAMBÉM, que não vamos às Olimpiadas.