sábado, 27 de dezembro de 2008

UM JOVEM BRASILEIRO NA ITÁLIA


Dimitri Sousa / Foto: Reprodução

Nas conversas rápidas pela internet, Dimitri Sousa nem parece um garoto de 14 anos, de tão articulado e maduro para a idade que tem. Dentro da quadra, os números também impressionam. Nas categorias de base em São Paulo, pelo Círculo Militar, ele fez miséria nas últimas temporadas - foi cestinha em inúmeros torneios e chegou a meter 61 pontos num jogo em 2007. Filho de Marcelo Pará (ex-Corinthians e Monte Líbano nos bons tempos)
e irmão de Adonis Sousa (que passou pela Grécia e hoje está no Paysandu-PA), aprendeu logo uma lição: os melhores caminhos do basquete hoje podem estar bem longe do Brasil. Por isso ele cruzou o Atlântico há duas semanas e se mandou para a Itália, onde agora treina com o sub-15 e o sub-17 do Teramo. Logo de cara, a expectativa se confirmou. Mas é melhor deixar o próprio Dimi contar a impressões sobre os primeiros dias na Europa.

- REBOTE - Como foi a chegada à Itália?
- DIMITRI SOUSA - Logo de cara, fui muito bem recepcionado. Quando cheguei, lá estavam dois técnicos me esperando, com
a van do time, e fomos para Teramo, que fica a duas horas de Roma. A cidade é maravilhosa, tem 60 mil habitantes, e tudo gira em torno do basquete. Aonde você vai, o assunto é basquete.
As pessoas são muito receptivas e eu estou sendo muito bem tratado. Tudo que eu preciso eles resolvem na hora. A estrutura da equipe é fantástica. São três técnicos na quadra durante o treinamento, dois ginásios, um sistema muito profissional.

Dimitri Sousa / Foto: Reprodução- E como está a sua rotina neste início de trabalho?
- Eu estou morando em um apartamento com um técnico e mais três garotos. Tudo aqui é muito disciplinado, tem hora para tudo. A rotina é muito puxada. Vou para a escola, volto para almoçar em casa, e lá pelas 15h vou para o ginásio. Faço treinamento individual durante uma hora e meia. Depois disso, treino com o time sub-17 ou com o sub-15.

- Seu irmão também já esteve na Europa. Agora que chegou a sua vez, ele tem conversado contigo sobre a experiência?
- Sim, os papos têm sido muito bons. Meu irmão já passou por tudo que eu estou passando agora, então ele tem muito o que me ajudar. Preciso me dedicar, porque essa é uma oportunidade para poucos. Quero me preparar para o futuro aqui.

Dimitri Sousa / Foto: Reprodução- O Adonis, aliás, já cogitou defender a seleção da Grécia. E você, pensa em vestir a camisa de outro país?
- Eu já tenho passaporte grego e, após quatro anos jogando aqui, terei também o italiano. Mas meu foco agora é a equipe de Teramo. Quero treinar e aproveitar o máximo do basquete italiano. Sobre a seleção, eu e minha família temos muita paciência. Isso
vai acontecer com o meu desenvolvimento futuro. Meu sonho é chegar à NBA e jogar uma Olimpíada, mas tenho consciência de que terei que treinar muito para vencer todas as barreiras do basquete europeu.

16 comentários:

Guto Sousa disse...

Sempre garimpando boas matérias, heim Rodrigo!! Sorte pro Dimitri, espero que a geração depois da dele não precise se aventurar tão longe pra ter futuro com o basquete.

Osama_Lakers disse...

bela matéria Rodrigo - tomara que o Dimitri mantenha a cabeça no lugar e não desperdice essa grande chance que está tendo. E tomara também que, como ele mesmo disse, a seleção basileira de basquete se recupere e ele possa ser um dos seus integrantes.

bigmanrj disse...

Bela entrevista.
Outro dia vi no site da globo.com uma reportagem sobre um garoto aqui do RJ com 2.13.
Gostaria de sugerir uma entrevista com ele, que tal?

Happy New Year!

Anônimo disse...

Uma pena que a desorganização no Brasil e consequentemente as dificuldades de classificação para as olimpíadas, fazem com que outros países e suas seleções de basket sejam caminhos bem mais atrativos para a realização do sonho dos jogadores brasileiros.
É o preço que se paga pelo amadorismo aqui dentro.

Heverton Elias

Marcelo Marques disse...

por pior q o brasil seja

eu naum justifica naum querer jogar pelo brasil

isso é falta de educação tanto da escola(cupla dos governos) como em casa(dos pais)

o dimitri é muito bom mesmo

já q sempre antes dos meus jogos de futebol de salão assistia os jogos dele no circulo

Glaucons disse...

Mais um brasileiro indo pro exterior! Um conhecido meu vai pra Espanha jogar. Lucas do Clube Central de Niterói. Saiu até matéria sobre ele na Globo. Parabens pela matéria e pelo site!

Anônimo disse...

o blog "cestas de ontem" morreu?

Nairo

Anônimo disse...

Qual e a altura e posicao dele??

Nairo

JP disse...

Que bom, que ele aproveite as oportunidades!

Anônimo disse...

Rodrigo, também tem um menino aqui do Rio de Janeiro que já se destacava desde o mirim pelo Tijuca TC e agora com 17 anos foi jogar no Torrejon Baloncesto da Espanha, sucesso para todos!!!

Rodrigo Alves disse...

Nairo, o Cestas de Ontem não morreu, mas "congelou", por absoluta falta de tempo. Em 2009 ele vai voltar, provavelmente com um tipo diferente de atualização. Pode ser algo como "Semana Cestas de Ontem", com uma série de posts ao longo de uma semana - tudo anunciado no Rebote, claro.

Sobre o Dimitri, ele tem 1,94m e já jogou em todas as posições, mas atualmente é um ala-armador.

Abraços!

Anônimo disse...

O q é ter grana, hein? pai com grana dah nisso msm... imprensa toda dando cobertura!

Pedro Trindade disse...

eu concordo com o Marcelo que falou que nada justifica o cara não querer jogar pelo Brasil...

uma coisa é o cara que não tem chances na seleção, pede pra ser convocado, ninguem convoca e ele se naturaliza (caso do Deco e do Pepe no futebol por Portugal - e do Amauri da Juventus que agora vai se naturalizar italiano) e outra coisa é o cara ter a opção e preferir jogar por outro país.

ai eu já acho que a imprensa não tem nem que noticiar esse caras... deixa que a imprensa da italia e da grecia falem deles...

Pedro Trindade disse...

eu concordo com o Marcelo que falou que nada justifica o cara não querer jogar pelo Brasil...

uma coisa é o cara que não tem chances na seleção, pede pra ser convocado, ninguem convoca e ele se naturaliza (caso do Deco e do Pepe no futebol por Portugal - e do Amauri da Juventus que agora vai se naturalizar italiano) e outra coisa é o cara ter a opção e preferir jogar por outro país.

ai eu já acho que a imprensa não tem nem que noticiar esse caras... deixa que a imprensa da italia e da grecia falem deles...

Anônimo disse...

O Dimitri e um grande garoto e melhor ainda como jogador, mas infelizmente ele e filho do Para, lembro dele como jogador, bom (não como o filho)mas cabeçudo e Ze Mane.
como pai todas vezes que foi aos jogos do filho deu maus exemplos, chegando a responder e perder processo por agressão, e acabou fazendo com que algumas vezes o filho seguisse dentro da quadra seu exemplo.
Em suma Para e frustado com o basquete a nivel de seleção aonde não teve chance.
Para não se preocupe ele e muito melhor do que voce foi.

j c c disse...

caro amigo anonimo

JA QUE VC TA METENDO O PAU NO MEU AMIGO MARCELAO SOUSA , CASO VC REALMENTE SOUBESSE DO Q TA FALANDO , DEVERIA ENALTECER CARAS COMO O MARCELO , GUY PEIXOTO , KLEBER , ISRAEL , ABDALA SALOMAO ENTRE TANTOS OUTROS " CRAQUES " QUE TIVERAM A CORAGEM DE DEIXAR SUAS FAMILIAS E VIR A SAO PAULO P ENGRANDECER NOSSO AMADO BASQUETE , AO INVES DE TER ESTE TIPO DE ATITUDE , SEJA POSITIVO , NAO DESCA O PAU EM ALGUEM QUE COMO POUCOS , ESTA TENTANDO FAZER " RENASCER " O NOSSO BASQUETE , MUITO BOA SORTE AO DIMITRI , MEU RESPEITO E ADMIRACAO AOS CARAS QUE CITEI E QUE TIVE O ENORME PRAZER DE CONHECER E CONVIVER ,
ABRACAO AO MARCELO

CATIB JUNIOR