sábado, 8 de maio de 2010

UM POUCO DE TUDO




Já passa de 1h da manhã, acabo de chegar em casa, direto da HSBC Arena, onde vi a vitória do Flamengo sobre Franca, que igualou a semifinal do NBB em 1-1. Daqui a pouco (sábado de manhã), estarei na redação de novo. Como preciso dormir um pouco, não dá para ficar muito tempo por aqui. Mas dá tempo de dizer que:

))) O Flamengo simplesmente atropelou Franca na sexta-feira. Após um primeiro quarto equilibrado, o fator surpresa foi Jefferson, que entrou ligado, matou quatro bolas de três e fez a vantagem espichar. Dali em diante, bastou controlar o ritmo e ampliar ainda mais a diferença, que beliscou a casa dos 30 pontos até o placar final de 101-73.

))) A partida caminhava tranquila, mas a arbitragem mais uma vez foi arrogante, distribuindo faltas técnicas de forma exagerada, irritando os jogadores e transformando numa quase-guerra um jogo que poderia ser pacífico. Chegaram a atirar um chinelo na quadra tentando acertar o Helinho. Aliás, duro ver como alguns torcedores conseguem ser tão pouco inteligentes e prejudicam seus times.

))) Enquanto Fla x Franca não começava, vi pedaços da vitória do Minas por 103-94, na prorrogação. Resultado fantástico para os mineiros, que, após perderem em casa, arrancam um triunfo improvável na estrada e embolam a série. Não vi o jogo com calma, mas pelos números vejo que Murilo e Drudi brilharam no garrafão. Para chegar lá, o time de Flávio Davis ainda precisa vencer mais uma vez em Brasília, mas para quem já fez isso duas vezes, não dá para duvidar de mais nada. Após uma chuva de 3-0 nas oitavas e nas quartas, temos dois 1-1 nas semis.

))) Na NBA, outra coisa improvável: o Phoenix Suns abriu 3-0 em cima do San Antonio Spurs e praticamente decidiu a série contra seu maior rival. Com incríveis 23 pontos de Goran Dragic no último período, os visitantes fizeram 110-96.

))) Em Boston, o Cleveland Cavaliers sapecou 36-17 no primeiro quarto, com 21 pontos de LeBron James só neste período (38 no total), e pronto, os Celtics não viram mais a cor da bola. Foi a pior derrota em casa na história do Boston nos playoffs.

))) Por causa do trabalho, também não consegui ver o início do Final Four da Euroliga. Quando cheguei à Arena, só se falava na vitória do Olympiacos sobre o Partizan, na prorrogação, por 77-72. O Barcelona de Ricky Rubio se vingou do CSKA Moscou, despachou os russos com um 64-54 e marcou encontro com os gregos numa imperdível final de domingo, às 16h (a ESPN Brasil mostra).

E você, viu tudo isso na sexta-feira? Só sendo maratonista...

11 comentários:

Anônimo disse...

É bom para todos verem que um time não é um jogador, pelo menos para o Minas, todos falaram que sem o Facundo já era, o Facundo é um jogador fantastico, mas é exatamente nessa hora que o grupo tem de se unir mais e mostrar do que é capaz. Esse time é guerreiro e sabe exatamente as dificuldades e a responsabilidade. Minas está de parabéns.

Francisco Pereira disse...

Minas fez uma bela partida realmente. O menino Raulzinho, depois que se acostumou ao jogo, foi muito bem. Drudi e Murilo também detonaram. Já Brasília mostrou que quando se joga na correria, com quatro abertos e um pivô, mas a bola não cai, o negócio fica difícil. Precisam marcar melhor.
O jogo dos Celtics foi um banho de água fria, tanto para torcedores de Cleveland quanto de Boston. Ao final do primeiro quarto, estava tduo decidido. Se a gente soubesse...

Renato disse...

Rodrigo, ví ontem Barça e CSKA. Rubio jogou demais. Como esse menino defende e passa bem, dá gosto de ver. Eu tenho uma dúvida aquí comigo que me persegue tem algum tempo: se você pegar, por exemplo, placar por placar do Final Four e dos Playoffs, a diferença é assustadora (pelo menos prá mim). Por exemplo, Barça e CSKA (64-54) e Suns e Spurs (110-96). O que explica essa diferença? Seria porque na Europa o jogo é mais tático e se valoriza muito mais o trabalho defensivo?
Seriam os times europeus menos habilidosos que os da NBA? Eu, particularmente, prefiro o jogo mais tático e com um time que coma o taco da quadra defendendo, do que um bando de peladeiros no um contra um na maior parte do jogo. Tenho tido mais prazer em ver o Final Four ultimamente do que os Playoffs. Ressalto aquí que isso é uma dúvida minha, provavelmente dúvida de "juvenil" (rs...rs...), e perguntei aquí prá aproveitar o conhecimento de você e dos outros mais experientes do blog. Abraço!

João Pedro TONHÃO #23 disse...

Varejão jogou mal ontem.. Mas Lebron estava inspirado e realmente não deram chance para o Boston..
Como o time do Boston consegue ser tão irregular assim.. Ganha fora de casa jogando bem e toma uma surra em ksa..
Minas, sem o Argentino, ganhar do Brasilia eh sinal q o time tem condições totais de vencer essa série, o garoto Raúlzinho evolui a cada jogo..!'

Anônimo disse...

O Leandrinho foi superbem...
Mas o Dragic foi demais.
Go Suns!

Fábio Carvalho disse...

O anônimo acima resumiu tudo. O Alvin Gentry foi corajoso em tirar Nash quando a diferença caiu para a casa dos 3 pontos. Mas Dragic, principalmente, e Leandrinho não só não deixaram a vantagem dos Spurs aumentar, como viraram o jogo e abriram uma baita vantagem. Tanto é que Nash só voltou no final, e o Dragic nem sequer saiu, pois tava caindo tudo. Incrível ver como ele evoluiu tanto em um ano apenas. Se bobear, os Suns fecham em 4-0.

Bruno disse...

Renato, na minha opinião, são vários fatores que tornam um jogo europeu regular, não só final four da euroleague, um jogo com pontuação mais baixa do que um jogo também regular da NBA e não só um jogo so Suns, que normalmente já tem um placar centenário.

Na europa, e no resto do mundo, joga-se 8 minutos a menos, ou 20%.Se voce aumentar em 20% a pontuação de Barça e CSKA, teriamos um jogo de 77 X 65, algo assim e, se diminuir 20% de Spurs x suns, teriamos 88 x 76.

A diferença ainda é grande, mas bem menor.Outro fator é a valorização da posse de bola, na europa raramente se chuta com muitos segundos no relógio, os caras trabalham muito a bola até encontrarem um bom arremesso, não forçam tanto as jogadas e o jogo é bem mais coletivo e menos individual que na NBA.
Outro fator é que na Eurpoa se tem muito menos contra ataques do que na NBA, o que ajuda a diminuir o ritmo do jogo e facilita as defesas, por que tem mais gente no rebote defensivo, e joga-se a maioria absoluta de tempo no jogo de meia quadra, o que torna o jogo mais lento, e o placar mais baixo.
Outro fator importante também é o físico, existem jogadores na NBA que tem uma capacidade atlética inacreditável, que os tornam quase imparáveis, tipo Lebron,Shaq, no passado, etc, enquanto o mesmo não acontece na Europa e contribui também para um placar menor.
Enfim, são duas formas diferentes de se jogar basquete, e cada uma delas tem sua beleza.

Anônimo disse...

Bem não é pouco o que o Suns fez com esses 3x0

A primera vitória na casa dos Spurs nos últimos cinco confrontos em pós-temporada.

É interessante ver o Suns marcando e principalmemnte não gelando contra Duncan, Manu, Parker e cia

AINDA MAIS COM NASH, AMARE E RICHARDSON NO BANCO TODO 4º QUARTO

Dá para imaginar o mal humor do Popovich na conferencia de imprensa?

Era hilário ver a torcida gritando defense! defense!
Mas,primeiro Richardson e Grant Hill(como tá jogando esse veterano caras) e depois Leandrinho e principalmente Dragic partindo para cesta.

Parecia que os papéis tinham se invertido

Spurs não jogou mal , O Suns ganharam com autoridade como próprio Manu disse no fim: foram matadores(Kilers).

A cara de Parker no banco era a cara que costumávamos ver Nash Stoud toda vez que enfrentavam Spurs na pós-season.

Em pensar que o Spurs abriu 18 pontos no 1º quarto e depois Suns com DEFESA buscou e dominou o jogo no fim sem perder o controle com a pressão da trocida.

Ainda falta um jogo mas está claro que Suns desse ano não é o Suns das temporadas passadas , Na defesa e principalmente na segurança(O TIME TAMBÉM JOGA DURO QUANDO PRECISA).

ACHO QUE O zÉ BOQUINHA TEM QUE MUDAR A FITA DOS SEUS COMENTÁRIOS O SUNS NÃO É MAIS SÓ O 'Spa e pincha"

Nem juízes puderam ajudar Os Spurs desssa vez.

Por falar nisso não sei quem viu o jogo, o que foi aquela "falta" do Leandrinho no Duncan que quase enforcava o brasileiro.

É por isso que David Stern não quer ninguém criticando os árbitros .

Demorou 5 anos para sentir que o Suns realmente podem vencer os Spurs, sobre Dragic , como diria o Roby Porto:
INACREEEEETÁVELLLLL.

abraços

Sandro

Anônimo disse...

Raulzinho foi bem, mas quem segurou a onda foi o Luiz Felipe. Com ele, o time todo joga. Ele nem aparece tanto, mas faz o time jogar e marca muito bem. Esse é o papel do armador. Parabéns ao time todo do Minas.

Anônimo disse...

Alguem ainda presta atenção no que o Zé Boquinha fala?

joao disse...

Acompanho o Basquete brasileiro, com muita paciencia e sofrimento, há muito tempo.
Mas nessa serie de Franca x Fla, nunca ouvi o Roby Porto falando tanta merda! meu deus do céu.. nao lembro agora com exatidao um exemplo, mas tá bravo. (isso pq gosto e acompanho sua narração)

e o nivel do reporter de quadra é digno de reporter de futebol.. perguntas idiotas, cobertura fraca, comentários obvios.

nao reclamo mais que isso pq poderia ser pior (temos um campeonato nacional, transmissao ao vivo.. inimaginaveis 5 anos atrás) mas que tá ruim, tá.