sábado, 13 de março de 2010

VAMOS À ARGENTINA?




Foi categórica a vitória do Minas em Brasília na sexta. O placar de 96-77 já diz muito, mas o impressionante foi a maneira como o time se comportou do início ao fim (com um pequeno lapso na segunda metade do primeiro quarto). Para uma equipe que vinha ganhando fama de refugar em momentos decisivos, o triunfo veio na hora certa – e contra o rival certo.

O argentino Sucatzky (foto) deu um show, com 17 pontos e 14
assistências. O outro armador, Luiz Felipe, estava em noite bem
inspirada, acertando 6/7 da linha de três e marcando 28 pontos.
O pivô Murilo (14 pontos e 11 rebotes) deixou a quadra dizendo
que foi uma das melhores atuações do time desde sua chegada
a Belo Horizonte. Pelo que vi em quadra, acredito nele.

O resultado embola de vez o G-4 do NBB, já que Flamengo e Franca também venceram na rodada de sexta. O time carioca arrancou uma vitória por 83-79 na casa do Pinheiros, em jogo disputadíssimo até os últimos minutos. Marcelinho, depois dos 63, fez "só" 29. Franca recebeu o Londrina e não decepcionou: 81-73, com 16 pontos de Rogério e 15 de Márcio. Agora temos Brasília (16-4), Fla (15-4), Franca (15-5) e Minas (14-6) bem à frente dos demais.

Como se sabe, ficar entre os quatro primeiros na fase de classificação significa pular direto para as quartas de final, enquanto outros oito times disputam a primeira fase dos playoffs. Descanso garantido? Nada disso. Enquanto rola o mata-mata classificatório, os quatro da elite jogarão contra os quatro melhores do Campeonato Argentino. O torneio foi confirmado na sexta-feira e funciona assim: os dois primeiros brasileiros recebem o terceiro e o quarto dos hermanos para um quadrangular, e o inverso acontece na Argentina.

Não sei se a competição paralela cai no gosto de treinadores e
atletas, que poderiam aproveitar o período de folga para curar
problemas físicos e fazer ajustes nos treinos. Há ainda risco de
esvaziar as oitavas de final do NBB (se você fosse da TV, o que
ia preferir transmitir?). Mas que a ideia é animadora, é. Duelos
com os vizinhos são sempre bacanas e, de quebra, ainda nos
dão cancha para futuros confrontos nos torneios continentais.
E você, o que acha da iniciativa? Diga aí na caixinha.

16 comentários:

João Pedro TONHÃO #23 disse...

Sucatzky realmente joga d+.. Experiencia q ele tem eh importante d+ para o time do Minas..!'

Victor Dames disse...

O que a TV transmitiria? Por que não perguntas ao Sportv, já que de vez em quando você dá umas canjas por lá?

Sinceramente, não entendo quem faz a programação do canal. A rodada de Domingo, toda de manhã (horariozinho ingrato) não terá NENHUM jogo transmitido, dando preferência a eventos sazonais de judô ou reprises de reprises. Acho que tá na hora de demitirem o cara...

Porque não fazer como fazem com o futebol e o vôlei, revendendo para a emissora "parceira" os direitos de transmissão? Aposto que o NBB cairia bem na grade do Bandsports, por exemplo.

Abraços!

RAFAEL BH disse...

BOA MINAS ! CONSEGUIMOS DEVOLVER A DERROTA SOFRIDA NA ARENA NO TURNO. SE CONSEGUIRMOS VENCER O FLA NA PENULTIMA RODADA NO RIO, BOTO FÉ QUE IREMOS A FINAL. CHEGA DE ELIMINAÇÃO NA SEMI POR 2 ANOS SEGUIDOS. O FLAVIO DAVIS ESTA FAZENDO UM RODÍZIO DE JOGADORES MAIS EFICIENTE, COLOCANCO MAIS PARA JOGAR O BOM ALA PIVO RODRIGO E O EXCELENTE ( FUTURO ARMADOR DA SELEÇÃO ) RAULZINHO

Colin disse...

A LNB poderia e deveria investir em streaming de TV pela internet, deveria investir pesado na transmissão de jogos pela rede. Assim popularizaria muito mais o basquete, afinal não dá pra popularizar fazendo os torcedores verem as estatísticas pela internet apenas e comentando com base em números e não no que viram.

Com isso, a TV (diga-se Globo, a única que pode transmitir um jogo - nada contra, apenas lembrando) poderia transmitir o que lhe conviesse - o quadrangular - e a LNB se encarregaria de fazer as transmissões de mais alguns jogos pela internet. É um valor irrisório frente aos cada vez mais vultuosos valores de patrocínio fechados pela LNB e Globo (no caso da Caixa).

Não podemos depender apenas das transmissões do SporTV às 19h de sexta-feira (horário que ou estamos no trabalho ou no trânsito) para popularizar de novo o basquete.

Quanto ao torneio, sou totalmente a favor. Os times e a Liga daqui precisam de intercâmbio com quem sabe, e nada melhor e mais barato do que nossos hermanos. Nada impede também que, em caso de necessidade, os times poupem 1 ou 2 jogadores. E é claro que será feito um rodízio também, então não creio em grandes problemas físicos.

thiago disse...

Duelos contra os vizinhos sao bacanas pra eles, ja q eles ganham em 90% das vezes

jotapê disse...

Colin concordo com sua ideia, é boa e válida.
mas é falha ao dizer que o streaming iria popularizar o basquete.

Além da internet a nbb deveria conseguir mais canais, tanto abertos quanto por assinatura, que transmitissem o campeonato. mas a dificuldade é enorme visto que a globo impoe restrições em seu contrato.

Colin disse...

nao disse que só o streaming vai popularizar, mas é uma solução barata e de excelente alcance e seria, sim, uma ótima forma de popularizar o basquete, ainda mais com a inclusão de programas esporádicos. a globo tem exclusividade total em tudo que diz respeito ao NBB por 10 anos, então não temos muito o que esperar além de ver os jogos na programação deles, na hora que eles quiserem.

por isso bati na tecla do streaming. ideal, óbvio, seria ter vários canais passando os jogos. mas hoje é impossível.

nao vejo grande problema na exclusividade da globo/sportv, afinal quase todos os jogos importantes mesmo eles transmitem. mas permitam que as regionais ou outras emissoras passem jogos que nao interessam à grade deles.

de repente, assim, esses jogos passam até a interessar para a globo/sportv, que poderia escolhe-los ao inves de reprises das reprises das reprises de futebol e programas relacionados a futebol...

Pedro disse...

Ótima discussão. A ESPN BR, que aliás transmitiu MUITOS jogos do paulista, sempre teve interesse no NBB, mas esse contrato de monopólio da Globo não permite.

Anônimo disse...

Nice fill someone in on and this fill someone in on helped me alot in my college assignement. Thanks you seeking your information.

Anônimo disse...

Duelo com os hermanos é sempre bom para o basquete brasileiro, principalmente porque hoje eles tem melhor estrutura, melhor basquete, melhores jogadores.
Hoje (não exatamente hoje mas já há algum tempo), precisamos aprender com nossos vizinhos, por isso, sou a favor desse intercâmbio.

Victor Dames disse...

Acontece que a transmissão de jogos via internet também envolve cessão de direitos. Não valeria a pena investir nisso se não houvesse quem pagasse. Vide o League Pass da NBA...

A questão é o valor do basquete como produto para a emissora detentora dos direitos (no caso a Globo) ter retorno. Ainda aposto no mesmo modelo que eles usam no futebol e no vôlei, tendo a Band como parceira. A ESPN Brasil é um canal de pouca infraestrutura para cobrir competições nacionais, e é ferrenho da Globo, até por sua ligação com o Grupo Abril.

Abraços!

Victor Dames disse...

Acontece que a transmissão de jogos via internet também envolve cessão de direitos. Não valeria a pena investir nisso se não houvesse quem pagasse. Vide o League Pass da NBA...

A questão é o valor do basquete como produto para a emissora detentora dos direitos (no caso a Globo) ter retorno. Ainda aposto no mesmo modelo que eles usam no futebol e no vôlei, tendo a Band como parceira. A ESPN Brasil é um canal de pouca infraestrutura para cobrir competições nacionais, e é ferrenho da Globo, até por sua ligação com o Grupo Abril.

Abraços!

Colin disse...

Envolve cessão de direitos, investimento... mas estou falando de um canal DA LIGA, passando jogos e, eventualmente, alguns programas especializados nos intervalos, que depois ficam disponíveis no site.

A LNB argentina tem esse lance de programas, tem radio... a internet é multimidia, não podemos nos limitar apenas a textos e releases. Vamos inovar! A internet já é realidade, parem de pensar apenas na TV convencional.

Como a internet tem custos margeando o zero, a liga pode investir muito bem num "freemium" (free + premium). Poderia disponibilizar um jogo grátis e, para quem quisesse ver todos os jogos, cobraria um valor por jogo (mais caro), por rodada, por mês ou por temporada, com valores decrescentes.

Logo, uma parcela pequena pagará e dará lucro à Liga através dos jogos, e ela ainda manterá um público grátis. Sem contar que poderiam ser oferecidos prêmios, brindes, qualquer coisa para estimular as pessoas a assinarem os planos, pagarem, e ainda assim conseguem reforçar a marca.

Basta expandir os horizontes... se não dá para investir em parcerias com tvs abertas, invistam em internet. 2010, galera!

Victor Dames disse...

Sua idéia é ótima, Colin, mas do jeito que você coloca, há custos consideráveis sim, não de transmissão, mas de produção. E duvido muito que a LNB vá investir verba de seu próprio orçamento nisso agora. Expandir a transmissão através da parceria da Globo com outras emissoras me parece mais viável, porque não envolve verba nenhuma nem da Liga, nem da Globo, que ainda fatura algum revendendo os direitos de transmissão. É exatamento o que é feito no futebol e no vôlei com a Band.

Abraços!

Colin disse...

Victor, concordo com você quanto ao custo de produção e quanto às vantagens de vender os direitos de transmissão. Mas ainda acho que o basquete não gera tanto interesse para a Band, já que estamos falando dela. Por isso falei da internet, e voltando aos custos de produção: os patrocínios servem para isso também, não servem? Toda empresa que se preze investe na tentativa de expansão da própria marca.

Mesmo que seja uma parceria com a Globo, acho que a internet é o melhor lugar para o pontapé inicial. É isso que estou tentando colocar. É, definitivamente, mais barato do que colocar jogos em outras emissoras. Se você consegue cortar - drasticamente - os valores de transmissão, pode investir em produção.

Acho que falta à LNB mais investimento em imagem (foto e video). Não dá pra contar somente com colaboradores e assessorias que muitas vezes não têm um equipamento que dê para fazer boas imagens. É muito difícil, por exemplo, fotografar basquete. É necessário um equipamento de altíssimo nível, porque as quadras são escuras (para fotografia), os movimentos são bruscos, rápidos, e de diversos locais. Sem contar que a LNB não tem videos. Hoje os sites cada vez mais têm interesse em colocar videos. É só ver que os videoreleases do Pinheiros são super aproveitados.

A exclusividade é da Globo? Tudo bem. Mas a LNB pode ter uma conversa com eles e disponibilizar, se não for possível ao vivo, imagens de alguns jogos. A Globo só está fazendo imagens nos jogos do Rio, quando não faz transmissão de outros estados ao vivo.

O blog Território LNB vem fazendo por conta própria muitas coisas atrativas, como audios de entrevistas de jogadores.

Espero que a LNB veja os comentários aqui feitos, sejam meus, seus ou de qualquer outra pessoa e consiga fazer alguma coisa para entrar no mundo multimídia.

Abs!!

Victor Dames disse...

Colin, entendo o seu ponto de vista. Se não me engano, você é um dos articulista do excelente BasketBrasil, acertei? Como trabalha com a internet, nada mais normal que defender este tipo de mídia. Reconheço esse ascpecto inclusive, ressaltando que a internet é uma ferramenta de divulgação de maior alcance no basquete do que em outros esportes, pois a comunidade basqueteira a utiliza muito para observar estatísticas e resultados de vários campeonatos...

Mas não é a melhor forma de tornar o produto forte. Nenhuma empresa vai se interessar pela bola laranja, a exceção das que já investem nela, se o esporte não tiver um alcance de massa. E a internet não é ainda uma ferramenta de massa, não há como comparar o alcance da tv, já que todo lar tem no mínimo uma, com o computador, que falta em muitos lugares...

Quanto ao interesse da Band por basquete, não tens visto o Bandsports? Eles transmitem a Liga Espanhola e o NCAA regularmente...

No mais, concordo em genero, número e grau, especialmente da falta de vídeos pela LNB. Que eu saiba, todas as partidas, se não a maioria, são gravadas em vídeo. Alguns poderiam ser disponibilizados no site, sem prejuízo das imagens feitas pela emissora oficial.

Acredito que muito desse debate deverá ser aproveitado na próxima temporada. Considero boa a organização, pois houveram avanços da primeira para a segunda edição do NBB.

Abraços!