sexta-feira, 7 de novembro de 2008

TESOURA NO BASQUETE




Era mesmo de se esperar. O Comitê Olímpico Brasileiro decidiu usar como critério para a nova divisão da grana da Lei Piva os resultados recentes de cada modalidade, e o basquete – óbvio – foi o que mais perdeu entre todos os esportes. Em 2008, a CBB recebeu R$ 2,2 milhões. Em 2009, o valor cai para R$ 1,5 milhão. O dinheiro da Eletrobrás, no entanto, vai continuar pingando. Você concorda com os critérios do COB? Vá discutindo na caixinha, mais tarde eu volto a falar sobre o tema.

9 comentários:

Baguete disse...

Nao sei se concordo porque nao sei como esse dinheiro eh usado. Talvez, esse 1,5 milhao, se bem aplicado, seja suficiente.

Abracos!

Dinho disse...

Olha Rodrido, se analisamos a administração incompetente dos recursos, é díficil discordar do COB, principalmente se for dar um gestor envolvidos em coisas erradas com dinheiro público

Porém sou a favor de outra medida, uma intervenção político-administrativa para análise(auditoria) da aplicação dos recursos aplicados nosso falido basquete.
Tá bem claro pra mim que é o problema não representa o dinheiro, mas na falta honestidade e incompetencias do CBB

Elder Franca disse...

Tem que tirar esse dinheiro sim! Por mais que gostemos de basquete, não podemos compactuar com esses desmandos quea contecem na CBB. Quem sabe, se um dia a fonte secar de vez, o cargo de presidente da CBB fique desinteressante e o Grego saia? Esse dinheiro, todos sabemos, vai mais para o bolso de uns e de outros do que para o basquete em si; se é assim, melhor cortar. Um abraço a todos!

Lucia disse...

Acho que diminuir o investimento não é a solução. Discordo do critério do COB em basear a distribuição da Lei Piva por resultado. Afinal, como uma modalidade vai poder crescer se não tiver o dinheiro para investir na formação de equipes de alto nível? Mas também não concordo em simplesmente colocar milhões nas mãos dos dirigentes e deixar que eles façam o que bem entendam.

André disse...

Vendo pelo lado do COB, eh de se entender... Creio que eles vem investir em basquee como jogar dinheiro pela janela, gastar dinheiro com uma modalidade que soh ganha pan americanos quando os outros time estao com times reservas
Se a grana eh bem usada ou nao ja nao eh uma questao do COB e sim do ilustre presidente da CBB.
Eh triste para o basquete, mas nao podemos culpar o COB.

leo disse...

Acho correto cortar a grana.

Porém tb acho que o COB deveria fiscalizar mais de perto essas confederações que não mostram resultado.

Simplesmente cortar o dinheiro não resultará em melhoria nenhum para o esporte.

Cassiano/Araçatuba disse...

Certíssimo..de qualquer maneira Rodrigo, o dinheiro será mal utilizado...vc confia no Grego e sua trupe?
Aposto com vc que dos R$ 2,2 mi que eram depositados...o valor realmente investido não chegava nem perto dos R$ 1,5 mi atuais...
De qualquer maneira, a lei esta ai para ser cumprida e se um trabalho digno for feito, por merecimento, os valores poder sofrer reajuste favorável em futuro próximo.
Agora, acreditar que algum trabalho bem feito será efetuado e que sairemos do buraco é realmente difícil...até utópico...
Abç

sta.ignorancia® disse...

Concordo com o COB, é uma forma de punir a incopetência de algumas federações que só comem dinheiro publico. Exemplo? Basquete!

Ricardo disse...

Acho errado, só aumenta a distância entre esportes vencedores e perdedores. A punição aos incompetentes não deve acontecer com diminuição de recursos às modalidades, mas com punições aos responsáveis pela sua administração!