sexta-feira, 14 de novembro de 2008

É OU NÃO É CANDIDATO?




Na quinta-feira, voltou ao ar o Hora de Reconstruir. Só para esclarecer, no texto de ontem ficou parecendo que a assessoria da Federação Paulista omitiu a autoria da página, mas ela cuida apenas da entidade, não da campanha, e garante que realmente não sabia de nada. Ao que parece, então, Toni Chakmati fez segredo direitinho. Em entrevista ao BasketBrasil, aliás, o dirigente afirma que a candidatura à CBB ainda não é certa, ao contrário do que tinha dito para mim, com todas as letras, há alguns meses. Continuamos aguardando o fim do suspense.

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi Rodrigo,
eu li lá a entrevista do Toni e ele falou que os nordestinos são pobres e por isso não se faz basquete e precisamos da CBB para fazer basquete.
Que idiotice falar isso. Vejo que o Toni é tão despreparado quanto o Grego. O Paysandu precisou da CBB para fazer um time que chegou em quinto na NLB?Vá dizer isso pra o Miguel Sampaio, dirigente do clube.
Meu caro Toni nem se candidate se sua cabeça não consegue ter idéias melhores que essas. Se o futebol consegue arranjar dinheiro para tanto por que o basquete não conseguiria. Agora, falar que não tem tradição, eu concordo, mas isso se cria. Se você quer um exemplo atual eu te dou o Sport Recife feminino Toni. Melhor que muitos times de São Paulo.
Só estou te respondendo aqui para ser em público, pois sou nordestino e já estou cansado dessa baboseira de falar que o Nordeste não tem basquete e ficar todo mundo calado.É MENTIRA!
Tem dinheiro, basta que quando se surja uma liga como a NLB que permitiu o Brasil todo jogar basquete os presidente de federações grandes, não fiquem fazendo aquela patifaria de boicotar e marcar jogos nas mesmas datas dos times para ferrar com a liga porque ia dar certo, agora vai não vai ter Nordeste no meio: Todo mundo ajuda.
É burrice não fazer jogar no país todo. São mercados para patrocinadores inexplorados no basquete, Norte, Nordeste e Centro-Oeste.Quem aproveita isso? O Futebol.
Respeite o Nordeste e as outras regiões que não participam, pois não precisamos de migalhas e os nosso melhores jogadores estão em São Paulo e em outros estados ajudando o Brasil a ser mais forte.
Chiaretto Costa
Técnico de Basquete

Messo disse...

Chiaretto Costa... respeito sua opinião mas quero dizer uma coisa...

ele não falou que o nordeste é pobre... ele comparou com o basquete de são paulo, que realmente é mais rico que o do nordeste ou menos pobre...

não vamos ser bairristas...

E detalhe importante se ele disse q o basquete do nordeste naum vem bem, isso eh fato.. e que estah propondo investir dinheiro no nordeste, coisa q nunca foi feito... q mal tem?

Se ele fizer isso ( deixando claro, se ele fizer ) eh ótimo pro nordeste, ou naum é?

Ps 1. Eu sei q isso pouco importa, mas meus pais são do Sertão da Paraiba e amo muito o nordeste, mas eh fato a maior concentração de riqueza e dinheiro eh no sudeste... quanto mais se investir no norte e nordeste, melhor será pro país

Ps 2. Vc mencionou o Paysandu como um time do nordeste quando o mesmo eh do Norte do país

Marcelo disse...

parabens grego por mais uma derrota
no sulamericano sub 15

mais uma vez as melhores jogadoras da categoria foram deixadas de fora

a melhor jogadora do campeonato brasileiro pouco jogou

parabens grego em em dezembro mais uma derrota no sulamericano sub 17

só q ai tem venezuela e uruguay mais uma vez fora até da copa americas

mais uma vez parabens grego

Anônimo disse...

Pois é Marcelo , a nossa sorte é que a Consubasket ainda não criou a categoria dente de leite ou "fraldinha".


BR

Anônimo disse...

Caro Messo,
entendi bem o que o Toni quer dizer e quando se fala em basket, nortistas e nordestinos são tratados da mesma forma,além daqueles que são do centro-oeste, sempre de forma excludente e grande parte dos basqueteiros dessas regiões se apequenam e baixam a cabeça, portanto acho que não estou sendo bairrista, caso você frequente os bastidores do basket vai saber porque falo isso e que tipo de comentário se faz no meio.
Mas se for feita uma política de desenvolvomento para o basket brasileiro sem pena de ninguém, cria-se uma possibilidade de todos jogarem e aí você vai ver que o Nordeste tem dinheiro sim, assim como o Espírito Santo, que eu sei que não faz parte do Nordeste, mas nunca teve time, conseguiu mostrar que tem dinheiro e agora tem duas equipes fortes.
Será que eles não pensaram que abrindio mais equipes tem mais mercado. E se falta no nordeste possibilidade de se jogar por causa da politicalha que alguns presidentes fizeram pra quebrar a NLB e fazem pra colocar fora os segmentos que não estão alinhados ao poder e eu falar contra isso é ser bairrista na sua opinião: Sou bairrista convicto. Não me venha dizer que não jogamos porque somos pobres, isso é varrer as baixarias de bastidores pra baixo do tapete.
Você sabia que se cobrou do clube fortaleza pra jogar um campeonato brasileiro a taxa simbólica de mais de 600 mil reias, no ano de 2003 ou 2004? É só confirmar com o presidente da federação cearense o Coronel Julião e no ano de 2005 não se cobrou nada pra o Sport Recife jogar depois que a NLB começou? Qual o motivo desse joguete?
Será que tenho motivo pra ser "bairrista"? Mas tem muito mais coisa que já aconteceu e acontece. O brado não é sem causa, o problema é muito mais grave do que nossos olhos podem ver.
Chiaretto Costa

Messo disse...

Caro Chiaretto...
eu confesso que naum conheço a estrutura do basquete do Norte/Nordeste, mas se vc(q vive desse basquete)garante que tem condições de disputar um campeonato brasileiro, quero mais eh q isso ocorra...
quem sabe ver um dia o basquete nacionalizado..

Vc comentou q eu teria dito que que vcs não jogam pq são pobres, eu naum disse isso, eu soh disse q no norte/nordeste não possui a mesma concentração de dinheiro que possui o sul/sudeste, e isso não eh soh no Basquete, mas em quase todas as areas, infelizmente... eh um problema sócio-cultural do Brasil.

Sobre investimento no basquete nordestino ser motivado por pena.... não vejo dessa forma.. acho q pelo contrario eh uma forma de dar valor a estados brasileiros que recebram poucos incentivos no basquete.. eh incocebivel q o sudeste mesmo com a situação que possui receber mais incentivos q o nordeste...

Sobre a taxa simbolica cobrada no passado ao clube Fortaleza.. isso eh mais uma amostrra da incompetência da gestão do nosso atual presidente da cbb...

abraçoss

Emerson Silva