sexta-feira, 30 de julho de 2010




Rubén Magnano não tem pressa. Em papo que tive com ele ontem à noite (estará aqui no blog hoje à tarde), fica claro que a definição do grupo que vai ao Mundial ainda pode esperar. É cedo, mas em todo caso já dá para pescar algumas dicas do que vem por aí. Desde o início dos treinos, conversei não só com o técnico, mas com outros integrantes da comissão e os jogadores. Dessas conversas, a gente vai montando o quebra-cabeça. Ainda há o risco de embaralhar todas as peças, mas vamos colocá-las na mesa.

>>> Três armadores para o Mundial? É uma possibilidade

Parto do princípio (não confirmado pelo técnico) de que nove vagas já estão praticamente certas: os oito da lista original e Marquinhos, que foi puxado do time B. Sendo assim temos um armador (Huertas), quatro laterais (Leandrinho, Alex, Marcelinho e Marquinhos) e quatro jogadores de garrafão (Splitter, Nenê, Varejão e Giovannoni). Uma opção natural seria buscar no Sul-Americano o complemento do grupo com um pivô (Murilo), um ala (Tavernari) e um armador (Fúlvio ou Nezinho). Mas acho que o argentino pode driblar essa fórmula.

Antes de chegar lá, vamos a alguns pontos que, mesmo sem ver os treinos, deu para apurar:

1) Splitter e Nenê tendem a se revezar na posição 5. Só devem jogar juntos em situações muito especiais. Varejão deve ter como seu substituto imediato Guilherme Giovannoni, que vem mesmo treinando apenas na 4.

2) O treinador considera seriamente uma possibilidade: levar à Turquia três armadores – Huertas e mais dois, sendo que um deles pode ser Raulzinho, para dar experiência ao garoto. O assunto vai estar na entrevista logo mais.

Se a opção for esta, Tavernari (que vem jogando bem na Colômbia) deve ser sacrificado, até porque Guilherme pode ser um quinto nome para a lateral em caso de emergência. E aí até Paulinho Boracini ganha força para roubar a vaga de Fúlvio ou Nezinho. Ele também pontua e, sem Tavernari, poderia se transformar em opção na ala. O grupo ficaria assim:

Armadores: Huertas, Fúlvio (ou Nezinho ou Paulinho) e Raulzinho

Laterais: Leandrinho, Alex, Marcelinho e Marquinhos

Pivôs: Varejão, Splitter, Nenê, Giovannoni e Murilo


Olha, me parece uma saída bem interessante, hein. Raulzinho ganharia uma chance, mas não na fogueira de ser o reserva imediato de Huertas. É claro que nada disso está fechado na cabeça de Magnano. Esse caldeirão ainda vai ter a análise dos treinos, os jogos do Sul-Americano, as questões físicas, ou seja, tudo pode mudar. Mas como a gente gosta de fazer exercício de futurologia, aí está um deles. O que você acha?

45 comentários:

Anônimo disse...

acho que vc está ABSOLUTAMNETE CERTO!!!!!
Toda a lógica de quem entende de basquete leva para esse caminho. E acredito que Magnano conheça muito.

Fulvio e Murilo devem subir da seleção B....e Raulzinho deve ser levado para ganhar bagagem, já que é a maior promessa de nosso basquete para o futuro.

Yavernari seria uma carta fora do baralho. Chutador de 3 por chutador de 3, já estamos levando o melhor especialista que é o Marcelinho.

Alex M.

Anônimo disse...

Marcelinho, Nezinho, Paulinho, Raulzinho, Leadrinho, Marquinhos....pena que no feminino não vamos ter nossas diminutivas Claudinha e Silvinha...rsrs...só temos a Adrianinha mesmo.

Luiz disse...

É mesmo......Tanto "INHO"......

Mas ,vamos lá. Temos um Sul Americano a ser decidido neste final de semana. Por isso, nenhum treinador medianamente inteligente definiria nomes sob pena de "furar o pneu" do time do Brasil ( que ja está indo até melhor). Acho que as probablidades expostas pelo Rodrigo estão corrétas só que aparece ( pelo seu feeling)a possibilidade de uma outra via. Huuummm... Prefiro êsse desenho que vc expôs. Lembre-se que os escolhidos fora da turma da Barra ja irão com 2 semanas de defazagem. É coisa pra gente madura. Além daquele clima de aceitação pelo grupo.....huuummm. Para mim, sinceramente rsrsrsr O Huertas vai ter que trabalhar pra "c......."!!!!!!Essa turma que perde a bola pelo meio do caminho vai acabar tirando a estabilidade do nosso ataque. Essa do Valtinho foi f´....!!!!!

Anônimo disse...

O Giovanonni nunca foi pivô!!!! ele é ala (nº 3).

Anônimo disse...

Ao anônimo acima, o Giovannoni jogou sim como 4. Se não me engano na Itália.

Anônimo disse...

Ao anônimo acima, o Giovannoni jogou sim como 4. Se não me engano na Itália.

Vitor disse...

Gostaria de ver Nene e Splitter juntos.

Anônimo disse...

Ele joga "improvisado" de 4, mas a posição dele é 3; Pra esclarecer, o rebote não é um dos atributos mais notáveis do Guilherme, requisito primordial para um pivô ou mesmo ala-pivô. O jogo dele se concentra mais no arremesso e em infiltrações. O Magnano poderia até utilizá-lo como pivô, mas de forma improvisada. No site da CBB a posição dele na ficha é Ala. É só vermos a características de jogo dele, baseada no arremesso e em infiltrações mais do que em rebote e marcação, isso sem contar pela estatura dele (2,04, pelo site da CBB) que não quer dizer nada, mas já demonstra que rebote não é a dele.

Jorge Luiz Lopes Junior "Ster-k-da" disse...

Eu gostei do que foi proposto pelo Rodrigo, acho que o Paulinho deve ir, o Nezinho não deveria nem ter ido para a seleção pelo seu histórico e o Fúlvio infelizmente também não está a altura do campeonato, comete muitos erros e precipitações no ataque, o que está fora do sistema do Magnano, pelo que vimos da Argentina campeã.

Gostei de ter o Giovannoni na posição quatro, dá ao ataque a mudança que gostaria de ver no Brasil, que é o pivô jogar com mais espaço no garrafão e os outros quatro mais abertos, com a entrada e participação constante do Giovannoni como "pivô". Pra falar a verdade, prefiro me referir as "posições" no basquete como reais situações, uma vez que qualquer um pode desempenhar funções que aparecem como oportunidades durante o jogo e o Giovannoni vai poder contribuir muito para o Brasil assim.

Uma pena ninguém ter ensinado o Tavernari a ser um armador, ele poderia ter desempenhado essa função na seleção B para ganhar experiência e ir para o mundial também mas ele não tem a agilidade necessária, concordo com quem diz que ele "dançou"...

Dois armadores na quadra: Huertas e Leandrinho (ok, podemos considerá-lo um lateral); dois laterais: Marquinhos e Giovannoni (ok, podemos considerá-lo pivô); um pivô: Splitter (ou Nenê, ou Varejão, quem estiver melhor nos treinos e amistosos, meu palpite vai pro Tiago mesmo).

Por algum motivo, ainda não confio no Marcelinho e no Alex. Não sei se eles conseguem se encaixar no sistema do Magnando, o Marcelinho era o "dono do time" no Flamengo e chutava todas as bolas que pegava, enquanto o Alex treinou com o Lula, "peladeiro mor" do Brasil, desde sempre...

Vamos ver o que o Magnano faz agora!

Anônimo disse...

É sem dúvidas uma possibilidade interessante, mas faço uma observação, o Paulinho é pontuador, mas em termos de marcação o Tavernari é infinitamente melhor.

Nessa linha de raciocínio acho que de certa forma o coach estaria sendo incoerente, pq então Raulzinho não está no Sulamericano no lugar do Luiz Felipe, figura nula, com participação decepcionante? O nível da competição está legal, o nível dos armadores do continente idem.

Fala-se tanto em renovação na armação e estamos esquecendo dos alas, Marcelinho e Giovanonni já passaram dos 30, para o carioca, sendo provavelmente esse campeonato sua despedida, Alex tem 29. Acho tão necessário dá bagagem ao Raulzinho, quando ao Tavernari que vem se mostrando peça importante na futura renovação.

Só aceitaria 100% essa atitude caso nossa seleção não se classifique para o Pan do ano que vem, como não está em Neiva seria a competição ideal pra Raulzinho dá seus primeiros passos na seleção adulta, visto o nível da competição.

Outra observação. O jogo do Tavernari tá muito distante do Marcelinho, o jovem ala possuí ótima defesa (a melhor da seleção B), seu percentual da linha dos 3 é realmente altíssimo, e nos momentos chaves do jogo tem entrado e decidido.

Enfim... Mesmo não se concordando com a hipótese sugerida, se respeita, pq temos um técnico que merece credibilidade.


Leonardo Rodrigues

Anônimo disse...

E mais... Levar Raulzinho e Paulinho seria uma tremenda SACANAGEM, com quem foi roer o osso na Colômbia.

Abriria margem para que nossas principais apostas que estão fora do país recusem convocação para situações semelhantes.

Nessas condições, vc sendo o Paulão ou o Fab Mello colocariam suas carreiras em jogo (vide a possibilidade de contusões) pra ser sparring?

Leonardo Rodrigues

Luiz Fernando Paes disse...

não concordo muito com Nenê e Splitter apenas revezando ..

acho que podem e devem jogar juntos enquanto o Varejão estiver descansando ..

acho ainda que nos momentos em que dois do trio estiverem no banco, que deva entrar o Murilo (5 a 10 min por jogo no máx), e não o Giovanonni.

acho que com o Guilherme ali sobrecarrega muito o pivô, mas o Magnano sabe o que faz ..

pelo visto, Marcelinho e Marquinhos vão brigar na 3, Alex e Leandrinho na 2, e o Huertas soberano na 1 ..

não vejo a hora de assistir esses jogos do Brasil!

Anônimo disse...

Concordo com a questão de que a nomenclatura é secundária. porém, reafirmo, não vejo o Giovannoni jogando, consistentemente, como nº 4, pois não é a dele. No caso específico que o Jorge Luiz comentou, dependerá muito com quem estivermos jogando. Se for um time que seja pequeno e não tenha bons reboteiros, legal! Agora, hoje em dia o rebote é primordial, temos que ter um pivô e outro do time que desempenhe tb bem esse fundamento. Se o marquinhos estiver em quadra, ele não pega rebote nem do Arroyo, pois ele (o marquinhos) tb não tem essa característica. Então acho temerário colocar o Giovannoni improvisado numa posição em que ele não jogue confortável e que ele não tenha as características necessárias para desempenhá-la bem e deixando o Splitter (ou o Nenê) segurando o rojão com rebotes e com a marcação próxima à cesta; mesmo por que no basquete internacional moderno, ganha-se jogo com rebotes (de forma geral, com defesa forte) mais do que ofensivamente. Entretanto, como falei, nada que não possa acontecer durante o jogo, episodicamente.

Anônimo disse...

armadores: leandrinho,huertas
leandrinho ja esta treinando como armador e não reclamou
alas: tavernari, marquinhos,marcelinho ealex
pivos: Geovani, Nene, Murilo,Varejao, Splitter

Anônimo disse...

O que faria Magnano ser tão confiante em levar um segundo armador como Fúlvio e um novato como Raulzinho é o fato de muitos jogadores nessa equipe serem polivalentes. Giovanonni é o caso mais claro, pois desde na base do Pinheiros dominava o garrafão de 4 ou 5. Joga muito bem de 3 e pode fazer a 2 com tranquilidade. Leandrinho pode armar, principalmente se tiver alguém como Alex ao lado de 2. Magnano sabe disso e por isso deve levar Raulzinho. Agora entre Fúlvio, Nezinho e Boracini, acho que deveríamos ficar com o primeiro, que já teve experiência em torneios de porte (ex: Pré-Olímpico de Atenas em 2008).

Anônimo disse...

O Paulo boracini foi vice cestinha do NBB e tem 26 nos, jogou na italia. Fulvio não convenceu ate agora, muitos erros e ruim na defesa. Raulzinho, ele é otimo, mas não tem fisico, vai perder todas as bolas. Nezinho, as vezes joga bem, mas é muito discplescente, sem chances!
Vai ser o paulinho boracini mesmo

Anônimo disse...

Não me lembro de ter visto um jogo, em nível internacional, do Guilherme em que ele tenha "dominado o garrafão"... talvez na base no Pinheiros, mas em nível internacional, não me lembro, dos poucos em que ele foi utilizado como 4 ou 5, em que ele tenha sido dominante.

Fábio Barcelos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio Barcelos disse...

Rodrigo, muito boa análise. Estive no treino e o Guilherme realmente treinou como Ala-pivô, o que eu acho que dá uma ótima opção de chutes de fora para um 4 (que estará teoricamente marcado por jogadores grandes e mais lentos). O surpreendeu a desenvoltura do Raulzinho, que (neste treino) me pareceu mais eficiente que o Paulinho. Quem está comendo a bola é o Marquinhos. Agressivo e com uma precisão cirurgica nos arremessos. Outra coisa que ficou clara, foi a preocupação do Magnano com a defesa. Chegou a parar o trabalho e reunir todos os jogadores (inclusive Nenê e Varejão que não treinaram) e cobrar mais empenho e atenção defensiva. Entretanto o seu palpite foi ótimo.
OBS: Pena não poder levar mais jogadores, pois o Lucas Bebê tem muito potencial e mais contato com essas feras seria ótimo para ele.

Fábio Barcelos - ABASCA

João Dias disse...

Rodrigo, acho que independetemente das escolhas finais do Magnano, uma coisa nós podemos ter certeza, e comemorar: temos opção.

Antes esse tipo de raciocínio era feito em relação ao time titular, agora estamos discutindo nomes para participar da rotação, que possivelmente jogariam poucos minutos de jogos mais cascudos.

Tavernari, Raulzinho, Fulvio, Paulinho, enfim, acho que qualquer que seja a escolha, não vai ser unanimidade, como também acredito que ninguém irá achar um absurdo do técnico.

Abraços!

Anônimo disse...

1) Ainda acho q o Brasil pode jogar com Spliter 5 e Nene 4. Nene possue agilidade suficiente para marcar a grande maioria dos 4 no mundial.

2) Lembrando das convocações dele na ARG mtas vezes levava 3 armadores... mas eu acho uma bobagem tremenda essa onda que está na moda agora, dar EXP ao Raulzinho, hora essa, leva-se ele para o sul-americano, depois ao PAN, ano q vem tem o Mundial sub19. Forçado de mais, queima algumas etapas à toa, muito melhor seria levar Tavernari esse sim necessita de EXP, pois nossos laterais todos são velhos, Machado 34, alex 30, leandrinho 27...


3) Só para bater na tecla, incrível dizer q Spltier e Nene não devem jogar juntos... um absurdo até.... Brasil jogou assim na COpa América 2007 mesmo com o Nene totalmente fora de forma e obeso, e fomos muito bem, até ele se machucar na semi contra ARG qdo ganhávamos o jogo!

Hora, se na copa américa onde o jogo é ainda mais acelerado, deu certo os dois juntos, nõa vejo pq não jogar no mundial tbem.

Anônimo disse...

Prezado Leonardo Rodrigues...que besteira vc falou acima com respeito a ser uma secanagem levar o Raulzinho para o Mundial e não tê-lo enviado para o grupo B.

Quer dizer que vc acha que ele para ir teria que passar treinando com um grupo mais fraco e com um técnico sem nenhuma experiência internacional(João Marcelo)....ao invés de estar 2 semanas treinando integralmente com o grupo principal e Magnano no Rio???

que bobeira vc escreu acima!!!!

Raulzinho está tendo uma chance que poucos terão na vida, e por sua competência e qualidade deverá estar no grupo da Turquia.

Da seleção B virão 2 alternativas para compor o elenco (possivelmente Fulvio e Murilo)....já que o próprio Joâo Marcelo foi cortado da comissão técnica que vai ao Mundial.

Flavio Peixoto--RJ

Anônimo disse...

eu puchava do grupo "B" o Murilo, o Tavernari e o Fúlvio.

Anônimo disse...

Tou achando meio HYPE demais esse negócio de Raulzinho...

Anônimo disse...

Podia, deveria levar uns 15 jogadores para esses amistosos.. final 4 brasília, depois lá nos EUA tbem.

Thompson disse...

Na draga em que estão Fúlvio e Nezinho, deixava os dois de fora para levar o Tavernari e utilizar Leandrinho, e até se necessário o Alex de armador.

Anônimo disse...

Realmente analisando as colocações acho que a melhor estréia pra o Raulzinho seria o Pan mesmo. Ele foi bem na Copa america sub-18, porém ainda sim, muitas vezes, errou muito.

O Tavernari nunca esteve tao bem, inclusive foi bem desde de sempre que jogou na seleção. Principalmente na defesa.

E iremos precisar dessa força defensiva em alguns momentos. Somente assim, podemos virar partidas decisivas. Além disso, os tiros de 3 combinados, fazem com que Tavernari seja muito útil em alguns momentos.

Sinceramente, o Fúlvio foi tão mal quando o vi jogar pela seleção nos torneios em alto-nível que pra mim não tem condições. Não sei se vcs lembram de qnd ele entrava no pré-mundial, era uma temeridade. Tanto que o Huertas voltava muito rápido pra quadra.

Portanto, acho que está cedo mesmo. Acho que deve ser bem pensado mesmo, ainda temos muito tempo. Inclusive queria saber se depois do sulamericano ele vai compor o grupo com mais gente, ou se vai apenas cortar alguns e chamar os escolhidos.


De qq forma, acho que ainda não podemos nos dar ao luxo de levar o Raulzinho e o Bebe pra um campeonato desses. Acho que no pan, ele devem ser amplamente utilizados, mas agora é hora de colocar os mais preparados e ganhar moral em nível mundial.

Marcelio Leal

Jorge Luiz Lopes Junior "Ster-k-da" disse...

As discussões estão ficando boas, é legal observar quem são os mais conservadores, quem são os mais antenados com o basquetebol internacional e quem são os que não entendem nada de basquete e usam argumentos sem fundamento.

Qualquer um que assistir um jogo da seleção B verá que não temos armadores lá aptos a representar o Brasil numa competição mais forte.

Mudei minha opinião, concordo com quem diz que o Tavernari tem mais condições de ir do que o Raulzinho. Mesmo ficando sem um terceiro armador essa parece a melhor opção. Prefiro ver o Alex improvisado como armador do que ver o Fúlvio e o Nezinho ou até o Raulzinho perdendo bolas por precipitações, inexperiência, ou qualquer outro motivo.

Desse modo teremos como opções de armadores:

Huertas, Leandrinho, Paulinho e possivelmente o Alex.

Laterais:
Marquinhos, Machado, Giovannoni, Alex, Leandrinho e Tavernari e possivelmente o Paulinho.

Pivôs: Splitter, Nenê, Varejão, Giovannoni e Murilo.

Anônimo disse...

Flavio,

Se o Raulzinho não tivesse outras oportunidades de treinar com a seleção principal e com o Magnano, até refletiria sobre a minha análise, mas o Sulamericano termina amanhã e o mundial é no final de agosto.

Por mais que o Raulzinho tenha talento ele precisa de bagagem internacional, de jogo. Se vc estiver assistindo as partidas do Sulamericano (assisti a todas que não envolvessem o Equador), perceberia que em termos de armadores a América do Sul tem muito talento seria uma baita experiência para o menino.

Sou fã incondicional do Raulzinho, mas pra mim ele ainda está cru, tanto, que mesmo se destacando na Copa América sub-18 apresentou altos e baixos.

Aproveito pra lhe fazer uma pergunta:

Vc acha justo e ético preterir os que foram pra Colômbia sendo que a programação inicial seria de que 4 vagas saíriam dos 12 que fossem ao Sulamericano?

Td bem que já está furada pq trouxeram o Marquinhos, mas
já não basta os caras estarem lá ralando e se expondo para a crítica especializada enquanto os holofotes estão todos voltados para os que ficaram aqui?

Vc acha justo o Paulinho que nem estava na convocação inicial integrar a principal sem ao menos ter colocado à cara-à-tapa no Sulamericano?


Sinceramente?

Pra mim essa hipótese colocaria em dúvida os critérios e o planejamento da seleção.

Leonardo Rodrigues

Jorge Luiz Lopes Junior "Ster-k-da" disse...

Leonardo Rodrigues,

Os doze jogadores que formarem o melhor time vão para a Turquia. Isso é o justo com o Brasil, ninguém está lá para fazer amiguinhos não. Vai quem joga, vai quem se encaixa no sistema e se enquadra nas características que serão exploradas dentro do melhor grupo.

Quem esta lá na Colômbia não está se expondo, está defendendo o país naquela competição.

Sinceramente, ninguém esta preocupado em ferir sentimentos dos jogadores, eles são maduros o suficiente para entender que se trata de uma nação e não do que eles querem ou preferem.

Espero que o Magnano não pense como você, ele tem seus próprios critérios e é por isso que não vem prometendo nada a ninguém desde o início.

Anônimo disse...

Jorge Luiz,

Concordo que na seleção devam estar os melhores, e para se escolher os melhores todos devem ou deveriam ter as mesmas oportunidades, excessão feita aos 8 nomes convocados inicialmente para a seleção A, por motivos óbvios.

Não quero que o técnico da seleção brasileira faça amiguinhos, quero que ele traga planejamento, ética e coerência.

Como podemos afirmar que no momento Paulinho e Raulzinho sejam melhores que os que estão no Sulamericano se eles não foram colocados à prova?

Serão escolhidos pelos números do NBB ou pelos treinamentos? Mas desde quando treinos e números são parâmetros pra algo? Vide Marcelinho Machado.

Mais uma vez pego o vôlei como exemplo, fala-se tanto no sucesso de nossas seleções, no entanto, o pilar desse sucesso se dá inclusive pela maneira ética e clara que Bernardinho e José Roberto agem. Criar um time vencedor é até fácil, difícil é criar um grupo vencedor.

Leonardo Rodrigues

Anônimo disse...

Touché!

kaiser disse...

qm falou q o raulzinho nao tem fisico, ta flaando merda... ele pode nao ser grande nem mt forte, mas tm mt mais fisico q o paulinho e o fulvio... e diferente do q diz o site da CBB o raulzinho nao tem mais 1,80... ta batendo algo la pelos 1,87m ja...


Tavernari pode ta mandando bem pela seleção B mas ja mostrou q nao rende mt na A. Fulvio tb nao eh la essas coisas, mas acredito ser a melhor 2a opção pra posição 1 no momento.

Giovannoni de 4 pelamordedeus nao... ele é 3, isso eh fato...

preferia q descessem o giovannoni pra ala e levassem mais um pívo

pistol pete disse...

RODRIGO... E O HATILA? TU ACHA Q ELE NAO TEM VAGA NAO? COMO QUARTO OU QUINTO HOMEM DE GARRAFAO??

João Dias disse...

Leonardo, concordo com você em relação ao respeito à ética ser fator fundamental ao sucesso de equipes vencedoras.

A grande questão é que, independente do grupo a qual faz parte, o jogador deve saber que a escolha é aberta a qualquer um que tem contato com o treinador ou sua comissão técnica.

E isso parece ter sido esquecido, porque o Magnano pode ser o treinador, pode dar a última palavra, mas ele, além de ter tido contato direto com os jogadores do Sul-americano, também montou uma comissão técnica que, pelo menos na teroria, tem por função subsidiá-lo com informações acerca dos jogadores que não estão agora com ele.

Por mais que questionemos os auxiliares do Magnano que estão na Colômbia, é certo que a função deles lá não é ser um mero técnico, montar o time pros jogos, mas sim avaliar os jogadores e passar tal informação ao treinador que, sopesando os dados que lhe forem passados, com aqueles de que já dispõe, inclusive em relação aos jogadores que estão, hoje, treinando no Rio de Janeiro, irá formar a equipe para o Mundial.

Não podemos subestimar o trabalho que o João Marcelo e os demais estão fazendo na Colômbia, porque tenho certeza que o Magnano não o fará. Na minha opinião, como mebros de uma comissão técnica, eles tem total competência para elaborar opiniões e subsidiar o treinador principal.

E diante destes dados, destes elementos, o Magnano vai fazer a comparação e avaliar o que é melhor. Justo ou não, pernante a comissão técnica como um todo, todos tiveram a sua chance de mostrar porque merecem a vaga.

Pelo menos essa é a minha opinião

Abraços!

Rodrigo Alves disse...

Amigos,

O Giovannoni deixou de ser 3 há séculos, desde a Europa, inclusive nas últimas participações na seleção. É um 4 mais aberto, chuta de fora, o fato de ser 4 não significa necessariamente jogar o tempo todo de costas para a cesta. Em breve vou publicar aqui a conversa que tive com ele, este é um dos assuntos.

O Hatila, como todos os outros, tem chance, mas pelas conversas que tive com o pessoal nos treinos, ele não está entre os cotados para ir ao Mundial.

Abraços!

Anônimo disse...

O grupo é tão bom e versátil que abre-se muitas possibilidades táticas, eu não curto o Giovannoni jogando na posição 4 e com Varejão, Splitter e até mesmo Murilo podendo revezar nessa posição, ele seria mal aproveitado.

Também não curto colocar um ala excelente como o Alex, mas que tem1,90m para jogar na posição 3 e enfrentar caras de 2,05m. O mais lógico seria revesar entre Giovannoni e Marquinhos essa posição.

Para armação pensaria em Leandrinho, como 1.ª opção para revesar com Huertas, pois na posição 2, temos o Marcelinho Machado e o Alex que podem jogar como ala/armador tranquilamente. Pensaria em um 3.º armador: Raulzinho, Fulvio ou Paulinho.

O Alex aliás poderia ser um jogador coringa para jogar em duas ou até três posições, pois é ala/armador, já jogou como armador na NBA e exerce muito bem a função 3. Isso dependeria do adversário, mas ele saindo de cara na posição 3, independente do adversário seria suicídio.

Anônimo disse...

Pois é João, vc compreendeu meu ponto de vista.

Não estou dizendo que Raulzinho ou Paulinho não mereçam ser convocados para a seleção principal, penso apenas que estará colocando à prova o planejamento que havia sido feito, e podendo causar um mal estar com consequências no futuro.

Que planejamento é esse que leva um jogador que não estava nos planos das duas seleções?

Enfim...

É a minha opinião.

Abração!

Leonardo Rodrigues

Anônimo disse...

Gostei da relação de atletas indicada pelo Rodrigo. Eu já colocaria o Paulinho direto juntamente com o Raulzinho, porque Nezinho nem pensar, Fulvio não tá jogando nada no sul-americano. O único que está fazendo alguma no sul-americano é o Murilo que deverá ser chamado também. No geral, essa seleção, a começar pelo Head Coach, vai dar o que falar.

Clóvis Rafael disse...

Li todos os comentários, achei bacana e de alto nível!!!!!

Mas sinceramente, tenho uma visão de basquetebol meio diferente!!!!

Eu acho que temos Huertas e Leandrinho como armadores, até pq o nosso ligeirinho poderá ser PG para dar descanso a Huertas... Inclusive eu acho que Leandrinho como armador é infinitamente superior a Nezinho e Fúlvio. E muito mais experiente que Raulzinho!!!

Nosso time atual necessita de armadores e defensores... Aí está a minha visão de basquete... Quem dos "não convocados" para o Mundial possuem essas características?????

Me arremete a Tavernari como um especialista em defesa e ótimo chutador do perímetro!!!

Nezinho como armador (apesar de comum) e um razoável marcador (melhor que Fúlvio)e sabe pontuar também!!!

Raulzinho é um jovem e talentoso armador, mas sem bagagem internacional, porém sabe marcar diferente de Paulinho e de Fúlvio!!!

Murilo é um BIG MAN inteligente, com bom repertório ofensivo e reboteiro, mas precisa melhorar e muito sua defesa e sua agressividade ofensiva (é muito soft, tanto na defesa quanto no ataque)!!!

Esses são os 4 que brigam por 3 vagas para mim, pelo menos!!!!

Um abração galera!!!

Anônimo disse...

rodrigo
estou gostando das discussões no site.Estão em um excelente nivel e os participantes de maneira geral fundamentam suas opiniões. Então vou dar o meu pitaco. Em termos defensivos tanto o Huertas,quanto o Leandrinho não são bons marcadores como o Alex, que poderia ser um derivativo para a armação. O Giovanonni, embora tenha jogados nos ultimos anos como 4, é soft como reboteiro e acumula o trabalhos dos que jogam na posição 5. Nesse caso ele pode jogar como um 3 alto ajudando os pivos 4 e 5 (Nene,Spliter e Varejão). Como suplentes, estamos bem servidos com o Marcelinho na posição 2 e até de 1; o Marquinhos como 3 puro, e não devemos esquecer q ele teve uma excelente temporada na Italia. Para compor o quadro de doze jogadores levaria o Murilo que pode jogar na posição 4 tranquilamente e até de 5 dependendo da estatura dos adversários. Outro atleta que levaria seria o Fúlvio, que embora tenha tido uma participação ruim no Pré de 2006 - são 4 anos - melhorou sensivelmente seu jogo depois que jogou na Italia e Espanha. E por fim levaria o Tavernari, que pode jogar de tres e até de 2, pois já que precisamos dar rodagem aos novos ele me parece o mais indicado.

Gustavo Goes disse...

Prefiro a seleção com três armadores, já visando o futuro com Raulzinho. Penso que em todas seleções deveria ter uma jovem promessa que possa render mais no futuro graças à uma convocação feita quando ainda era jovem. Que o Magnano não dê uma de Dunga em relação a convocação!

Anônimo disse...

Tinha um pensamento antes de ler os comentarios, mas mudei em um ponto depois. Acho melhor levar o tavernari ao inves do Raulzinho. Como um outro falou bem no inicio que bom que agora podemos discutir o grupo e não somente o time titular. Estava aqui já pensando o Pan 2011 (se estivermos lá), podia fazer uma seleção com raulzinho, jordan burger, murilo, jp, bebe, fab melo......seria interessante para pegarem experiencia.

Tomás

Loschiavo disse...

Acho que ele não vai deixar o Tavernari fora desse grupo, ele pode ser bem mais útil que um terceiro armador.

Anônimo disse...

jp ta velho! sai dae!